sicnot

Perfil

Cultura

Francisco Nicholson era "amigo, companheiro de teatro e homem multifacetado" diz Rui Mendes

O ator e encenador Rui Mendes mostrou-se hoje consternado com a morte de Francisco Nicholson, um homem "multifacetado, com muitos talentos" e seu "grande amigo e companheiro de teatro" desde os bancos do Liceu Camões, em Lisboa.

"Era um homem multifacetado e tinha muitos talentos. Era um grande amigo, foi o meu companheiro de teatro, desde sempre, desde os bancos do liceu. Andamos no Liceu Camões, fomos companheiros de turma e foi aí que começamos a fazer teatro", disse Rui Mendes, à agência Lusa, acrescentando que ambos se estrearam no teatro profissional nos anos 50.

O ator explicou que Francisco Nicholson estava doente há "bastantes anos", mas que o seu estado de saúde se agravou nos últimos tempos.

Rui Mendes destacou o papel de Nicholson na renovação da revista portuguesa e recordou a peça de teatro "Toda Nua", que esteve em palco no teatro ABC, aquando do 25 de abril de 1974.

Após o 25 de Abril de 1974, Francisco Nicholson e Rui Mendes, juntamente com outros grandes nomes do teatro nacional, fundaram o Teatro Adoc, na zona do Martim Moniz, em Lisboa.

A este respeito, o ator revelou que vai ser lançado esta semana, na Mouraria, em Lisboa, um livro sobre a história do Teatro Adoc.

"O livro vai ser lançado no próximo sábado, da autoria de um homem chamado Luciano Reis. O Virgílio Castelo vai ser o apresentador do livro. Creio que não se vai adiar esse lançamento, e é uma homenagem ao Francisco Nicholson que bem merece", frisou Rui Mendes.

Além do teatro de revista, o também encenador releva o papel importante que Nicholson teve na escrita de peças de teatro infantis e de telenovelas.

"Considero que o Francisco Nicholson deve ter sido das pessoas que melhores telenovelas escreveram neste país durante uma certa época, pelo menos, as primeiras novelas", sublinhou Rui Mendes.

O ator, dramaturgo e argumentista Francisco Nicholson morreu hoje, aos 77 anos, no hospital Curry Cabral, em Lisboa.

Francisco António de Vasconcelos Nicholson começou a fazer teatro aos 14 anos, no antigo Liceu Camões, sob a direcção do encenador e poeta António Manuel Couto Viana, a convite do qual veio a pertencer ao Grupo da Mocidade, que integrou com Rui Mendes, Morais e Castro, Catarina Avelar e Mário Pereira, entre outros.

Estudou em Paris, frequentando a Academia Charles Dullin, do Théatre Nacional Populaire, privando com grandes nomes do teatro francês, como Jean Vilar, Georges Wilson, Gerard Philipe.

Lusa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite