sicnot

Perfil

Cultura

O que responde Siri à pergunta sobre a morte de Jon Snow

Há perguntas tão envoltas em mistério que nem o software de reconhecimento de voz Siri do iPhone tem a resposta. A morte de Jon Snow é um perfeito exemplo.

Os fãs perguntam: "Siri Jon Snow está morto?"

A pergunta já deve ter sido feita tantas vezes que o software já responde com piadas, foi esta a resposta que a atriz norte-americana Kerry Washington, conhecida pela série Scandal, obteve: "Não sei. Mas espero que alguém já esteja a arranjar quem cuide de Ghost". Este "fantasma" é o lobo que pertence a Jon Snow.

A equipa do site Mashable também quis experimentar. Mas à primeira tentativa, Siri não respondeu com muita graça: "Não tenho a certeza. Ele tentou reiniciar? Isso costuma resultar sempre".

Segunda tentativa, Siri responde: ""Bom, sabem o que dizem para a morte... Hoje não! Mas porque amanhã seria melhor? De qualquer forma, não tenho a certeza".

À terceira vez que é feita a pergunta, Siri já responde com mais ironia: "'Morto é morto'. Ou será 'O que está morto não pode morrer'? Não, espera, 'A morte é um final assim tão terrível'? Desisto."

  • 10 Minutos com Ana Catarina Mendes
    10:28

    10 Minutos

    A secretária geral adjunta do PS diz que não percebe porque é que o PSD levou tanto tempo a escolher o candidato à Câmara de Lisboa. Em entrevista no 10 Minutos da SIC Noticias, Ana Catarina Mendes considerou ainda que Pedro Passos Coelho não tem estado à altura de um líder da oposição. Quanto às legislativas, entende que o PS deve concorrer sozinho às eleições.

    Entrevista na íntegra

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.