sicnot

Perfil

Cultura

Portugueses podem ajudar Rock in Rio a plantar árvores na Amazónia

Os portugueses são chamados a contribuir para a compra de árvores a plantar na Amazónia, visando a luta contra a desflorestação, num projeto ambiental promovido pelo Rock in Rio que pretende ultrapassar um milhão de novas plantas.

(Lusa)

(Lusa)

JOSE SENA GOULAO

O Rock in Rio, um dos maiores festivais musicais do mundo, vai abrir portas a 19 de maio, no parque da Bela Vista, em Lisboa, e uma das novidades desta edição é a angariação de ajuda para cumprir o objetivo de plantar, pelo menos, um milhão de árvores autótones na bacia do rio Xingu, na Amazónia brasileira.

A associação de defesa do ambiente Quercus juntou-se a outras organizações e está a colaborar com o festival para promover esta iniciativa, integrada no projeto Amazónia Live, como disse à agência Lusa um dos seus vice-presidentes, Nuno Sequeira.

"É um projeto mundial e a capacidade de mobilização de uma iniciativa deste tipo é muito grande", apontou Nuno Sequeira, explicando que os portugueses podem participar com um donativo destinado à compra de árvores.

O donativo pode ser concretizado no site do Rock in Rio, "com um valor mínimo pouco abaixo de um euro (depende da cotação da moeda brasileira), correspondente à plantação de uma árvore", referiu.

Depois, durante os cinco dias do festival, podem ser compradas pulseiras pelo valor equivalente a uma árvore a plantar na Amazónia.

Até à data do início do festival, a organização vai apostar em várias formas de promover este projeto e criar outros incentivos à participação dos apreciadores de música, dos defensores do ambiente, mas também de todos os outros cidadãos.

Nuno Sequeira recordou a importância da floresta tropical, como a Amazónia, para o equilíbrio do planeta, nomeadamente a conservação de espécies em risco, a absorção de dióxido de carbono ou a regulação do clima.

E se "os benefícios da Amazónia são sentidos em todo o planeta, os prejuízos consequência da sua destruição também o são", realçou.

O projeto global Amazónia Live tem como meta plantar pelo menos três milhões de árvores em áreas desmatadas até 2019.

Além da plantação de árvores, no início de abril, o Rock in Rio também anunciou um concerto com o tenor Plácido Domingo e a cantora brasileira Ivete Sangalo em agosto num palco flutuante montado na floresta amazónica.

Em declarações à agência Lusa, aquando da apresentação da iniciativa no Rio de Janeiro, Roberto Medina, presidente do Rock in Rio, reforçou que a Amazónia é o "grande palco do mundo" e, por isso, a sociedade tem obrigação de cuidar da floresta.

"O projeto não beneficia apenas o Brasil, mas todos os países do mundo. A Amazónia tem 20% da água doce do mundo e transpira 20 mil milhões de litros de água por dia. Ela interfere no meio ambiente do planeta como um todo", destacou.

A desflorestação é um dos problemas apontados como responsáveis pelas alterações climáticas, por quebrarem o equilíbrio natural relacionado, por exemplo, com a captação do dióxido de carbono.

Lusa

  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.