sicnot

Perfil

Cultura

Rui Chafes feliz e honrado com Prémio Pessoa

O escultor Rui Chafes, que recebeu hoje o Prémio Pessoa, disse não saber se merece o galardão, mas afirmou "sentir-se feliz, extremamente honrado e emocionado", por o galardão lhe ter sido atribuído.

"Não sei se mereço este prémio, provavelmente nunca o saberei, provavelmente nunca ninguém o saberá, olhando para a lista de personalidades premiadas, investigadores, criadores, pensadores das várias áreas das ciências e das humanidades. E olhando para a notável lista de pessoas que constituem o júri, não tenho a certeza de estar à altura das pessoas que me antecedem, nem das expectativas que o meu trabalho continuará a criar", começou por dizer o homenageado, que discursou durante cerca de 20 minutos.

A cerimónia de entrega contou com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, do presidente executivo do Grupo Impresa, Francisco Pedro Balsemão, em representação do seu pai, Francisco Pinto Balsemão, que preside ao júri, mas que se encontra com "uma forte gripe", explicou, e ainda de Álvaro Nascimento, presidente do conselho de administração da Caixa Geral de Depósitos, que copatrocina o Prémio Pessoa.

O cenário para a 29.ª cerimónia de entrega do galardão foi a sala da Culturgest.

Na assistência, estavam, entre outros, os ministros da Cultura e da Justiça, respetivamente, Luís Castro Mendes e Francisca Van Dunem, o secretário de Estado da Cultura, Miguel Honrado, o presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, e o presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, Artur Santos Silva.

O Prémio Pessoa "é uma iniciativa de referência no nosso país, pela seriedade, imparcialidade, que norteia o seu percurso", disse o escultor, de 49 anos, acrescentando que a sua pontualidade anual "vai-nos dando referências e orientando na esperança de um mundo, onde não existam apenas pessoas transformadas em peças de máquinas, geridas pelas regras paradigmáticas e destruidoras da economia do mundo".

Lusa

  • Rui Chafes recebeu o Prémio Pessoa

    Cultura

    Rui Chafes recebeu hoje o Prémio Pessoa das mãos do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Pela primeira vez um escultor recebe o Prémio que, desde 1987, distingue uma personalidade nacional que se tenha destacado nas áreas da cultura ou da ciência. O Prémio Pessoa, no valor de 60 mil euros, é uma iniciativa do jornal Expresso, com o apoio da Caixa Geral de Depósitos.

  • Primeiro-ministro hoje na cidade da Praia 

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, está hoje em Cabo Verde para a a IV cimeira bilateral entre Portugal e aquele país africano, aproveitando a passagem pela cidade da Praia para inaugurar a escola portuguesa.

  • Deputados britânicos debatem hoje petição que desvaloriza visita de Donald Trump

    Mundo

    Os deputados britânicos debatem hoje uma petição que reclama que a futura visita de Estado do Presidente norte-americano, Donald Trump, seja reduzida a uma visita oficial, enquanto dezenas de milhares de pessoas se manifestam sobre o mesmo assunto. Dezenas de milhares de pessoas são esperadas hoje nas ruas de várias cidades do Reino Unido, em protestos organizados para coincidir com a discussão no parlamento (na Câmara dos Comuns) de uma petição 'online' que já tem quase dois milhões de subscritores.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Matteo Renzi demite-se da liderança do Partido Democrático

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro italiano Matteo Renzi demitiu-se hoje da liderança do Partido Democrata (PD), uma decisão que faz parte de uma estratégia para retomar o controlo da formação de centro-esquerda, onde uma minoria mais à esquerda ameaça cindir-se.