sicnot

Perfil

Cultura

Axl Rose é o novo vocalista dos AC/DC

O cantor dos Guns n' Roses, Axl Rose, vai juntar-se aos AC/DC na atual digressão mundial da banda australiana, que vai passar por Portugal no próximo mês, substituindo Brian Johnson, que sofre de surdez. E é precisamente em Lisboa que acontece o primeiro concerto desta formação.

Axl Rose

Axl Rose

© Scanpix Sweden / Reuters

Os AC/DC foram forçados a remarcar os concertos de março da digressão Rock or Bust, depois dos médicos terem avisado Brian Johnson "para parar a digressão imediatamente", arriscando-se "a uma perda total da audição".

Depois de vários dias de incerteza, a banda fez hoje um anúncio:

"Os membros dos AC/DC gostariam de agradecer a Brian Johnson pela sua contribuição e dedicação à banda ao longo destes anos. Tanto quanto nós queremos que esta digressão termine como começou, apoiamos a decisão de Brian para salvar a sua audição. Dedicamo-nos a cumprir os nossos compromissos de tourné com todos os que nos apoiaram ao longo dos anos, e temos a sorte de Axl Rose ter gentilmente oferecido o seu apoio para nos ajudar a cumprir o este compromisso."

Em comunicado, acrescenta que o vocalista dos Guns n' Roses vão juntar-se aos AC/DC na parte europeia da digressão, que recomeça a 7 de maio em Portugal, com o concerto no Passeio Marítimo de Algés, junto a Lisboa. Axl Rose fará também os 10 concertos cancelados nos Estados Unidos.

Johnson era o vocalista dos AC/DC desde a morte do cantor Bon Scott, em 1980.

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras