sicnot

Perfil

Cultura

Assembleia Municipal de Lisboa aprova voto de pesar por Francisco Nicholson

Os deputados da Assembleia Municipal de Lisboa aprovaram esta terça-feira por unanimidade, um voto de pesar pela morte do encenador Francisco Nicholson, lembrando um "homem de inúmeros talentos" e "dotado de uma sensibilidade e dimensão humana notáveis".

Divulgação

O voto, apresentado pelo grupo municipal do Partido Socialista e aprovado pela assembleia por unanimidade, refere que "Portugal está mais pobre com o desaparecimento de Francisco Nicholson, indiscutivelmente um grande vulto da cultura portuguesa".

Francisco Nicholson morreu no dia 12 de abril, aos 77 anos, no hospital Curry Cabral, em Lisboa, na sequência de um transplante hepático que realizara há alguns anos, segundo a assessoria da Casa do Artista.

O voto lembra ainda a vida e a carreira de Francisco Nicholson, destacando que o ator, que somou mais de 50 anos de carreira profissional, "foi distinguido com a medalha de ouro de mérito cultural, atribuída pela Câmara Municipal de Lisboa, e também foi galardoado pela autarquia de Oeiras".

Ator, encenador, dramaturgo, argumentista, Francisco António de Vasconcelos Nicholson nasceu em Lisboa a 26 de junho de 1938.

Escreveu "Vila Faia", a primeira telenovela portuguesa, deu forma a "Riso e ritmo", programa pioneiro de comédia, na televisão, na década de 1960, e apostou na renovação do teatro de revista, com a cooperativa Adoque.

Em 2014 publicou o romance "Os mortos não dão autógrafos".

No final da votação, a Assembleia Municipal de Lisboa guardou um minuto de silêncio.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.