sicnot

Perfil

Cultura

Mariza vence prémio de melhor artista da revista britânica Songlines

A fadista Mariza venceu o prémio de melhor artista atribuído pela revista britânica Songlines, a propósito do álbum "Mundo", revelou a publicação.

STR

Na oitava edição dos prémios de música Songlines, Mariza estava nomeada na categoria de "Melhor Artista", juntamente com a cantora portuguesa Lura, a chilena Pascuala Ilabaca, o grupo Fauna e o músico senegalês Seckou Keita.

"Mariza regressou em 2015 com um álbum que mais do que uma reinvenção é uma extensão ousada do seu papel como representante global do fado", afirma a Songlines, a propósito de "Mundo", eleito pela revista um dos melhores discos do ano passado.

No entender da publicação, Mariza surge "não só como uma das melhores fadistas da sua geração, mas também como uma das mais carismáticas artistas do mundo, fazendo a ponte entre géneros populares e tradicionais de uma forma visionária".

Os prémios de música da Songlines repartem-se em sete categorias diferentes, cujos vencedores são escolhidos pelo público.

A propósito dos prémios, a Songlines organiza um concerto a 03 de outubro no Barbican Center, em Londres no qual atuarão Mariza e o guitarrista indiano Debashish Bhattacharya, outro dos artistas galardoados pela revista.

Lusa

  • Marcelo homenageia Mariza, Francis Obikwelu e Naide Gomes

    País

    O Presidente da República recebeu, esta tarde, os cumprimentos do corpo diplomático, no Palácio da Ajuda, em Lisboa. Na cerimónia estiveram presentes mais de 100 embaixadores e chefes de missão das diversas organizações internacionais. Marcelo Rebelo de Sousa convidou ainda três personalidades que quis homenagear: a cantora Mariza e os atletas Francis Obikwelu e Naide Gomes, que são portugueses que nasceram no estrangeiro e que têm dado um contributo para elevar o nome de Portugal além fronteiras. Para o chefe de Estado estes são exemplos que honram o país e que devem ser uma inspiração para todos.

  • Os dias na Terra estão a ficar mais longos

    Mundo

    Os dias estão a tornar-se mais longos, mas impercetivelmente, porque vão ser precisos 6,7 milhões de anos para aumentarem um minuto, segundo um estudo publicado quarta-feira pela Proceedings A da Royal Society britânica.

  • Leica: a marca lendária entre os fotógrafos
    5:54