sicnot

Perfil

Cultura

Axl Rose promete não faltar ao respeito do vocalista dos AC/DC

Axl Rose garante que o seu papel nos AC/DC não significa "nenhum desrespeito" a Brian Johnson, o vocalista da banda australiana, afastado por um problema de surdez. Axl vai cantar com os AC/DC na digressão Rock or Bust, a experiência começa este sábado, aqui em Portugal.

Axl Rose

Axl Rose

© Scanpix Sweden / Reuters

Em entrevista à rádio BBC 6 Music, o vocalista dos Guns N' Roses disse que é um grande fã de Brian Johnson e quer "fazer-lhe justiça".

"Estou feliz e animado por um lado, mas acho que seria inadequado estar a celebrar, por outro lado, à custa de outra pessoa", disse Axl Rose.

A conselho dos médicos, Johnson deixou de atuar ao vivo, sob pena de ficar surdo para sempre. Axl Rose vai juntar-se aos AC/DC para os concertos previstos na Europa e o primeiro é amanhã no Passeio Marítimo de Algés, junto a Lisboa. A entrada, ainda que temporária, de Axl na banda levou ao protesto de muitos fãs.

Segundo o próprio, foi de Axl Rose a ideia de se juntar aos AC/DC, para os ajudar a finalizar a digressão. "Liguei-lhes no dia que li nas notícias o que se passava com a audição do Brian", disse à BBC.

Quanto à sua prestação como vocalista, admite que não sabia se conseguiria cantar alguns dos temas míticos da banda. "Muitos dos temas de Back In Black são um desafio, não estou aqui para desrespeitar o Brian, não posso afastar-me do seu modo de cantar", garantiu.

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras