sicnot

Perfil

Cultura

Axl Rose promete não faltar ao respeito do vocalista dos AC/DC

Axl Rose garante que o seu papel nos AC/DC não significa "nenhum desrespeito" a Brian Johnson, o vocalista da banda australiana, afastado por um problema de surdez. Axl vai cantar com os AC/DC na digressão Rock or Bust, a experiência começa este sábado, aqui em Portugal.

Axl Rose

Axl Rose

© Scanpix Sweden / Reuters

Em entrevista à rádio BBC 6 Music, o vocalista dos Guns N' Roses disse que é um grande fã de Brian Johnson e quer "fazer-lhe justiça".

"Estou feliz e animado por um lado, mas acho que seria inadequado estar a celebrar, por outro lado, à custa de outra pessoa", disse Axl Rose.

A conselho dos médicos, Johnson deixou de atuar ao vivo, sob pena de ficar surdo para sempre. Axl Rose vai juntar-se aos AC/DC para os concertos previstos na Europa e o primeiro é amanhã no Passeio Marítimo de Algés, junto a Lisboa. A entrada, ainda que temporária, de Axl na banda levou ao protesto de muitos fãs.

Segundo o próprio, foi de Axl Rose a ideia de se juntar aos AC/DC, para os ajudar a finalizar a digressão. "Liguei-lhes no dia que li nas notícias o que se passava com a audição do Brian", disse à BBC.

Quanto à sua prestação como vocalista, admite que não sabia se conseguiria cantar alguns dos temas míticos da banda. "Muitos dos temas de Back In Black são um desafio, não estou aqui para desrespeitar o Brian, não posso afastar-me do seu modo de cantar", garantiu.

  • Caravana com cinzas de Fidel chega este sábado a Santiago de Cuba
    2:01
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.