sicnot

Perfil

Cultura

Escultura de Rodin arrematada pelo valor recorde de 20,4 milhões de dólares

"A Eterna Primavera", uma escultura em mármore de Auguste Rodin, foi arrematada na noite de segunda-feira por mais de 20 milhões de dólares, um recorde para o artista francês, num leilão de arte da Sotheby's, em Nova Iorque.

Escultura em mármore "Le Baiser" (O Beijo).

Escultura em mármore "Le Baiser" (O Beijo).

© Philippe Wojazer / Reuters

A escultura, em mármore branco, foi adjudicada por 20,41 milhões de dólares, o dobro das expetativas iniciais, que estimavam o seu valor entre oito e 12 milhões.

"A Eterna Primavera" foi esculpida num único bloco de mármore entre 1901 e 1902. A obra, que mede 80 centímetros de comprimento e 66 de altura e pesa 154 quilogramas, constitui uma variante da escultura em mármore "O Beijo", exposta no Museu Rodin em Paris.

O anterior recorde para uma escultura de Rodin remonta a maio de 2008 (18,97 milhões de dólares).

A Sotheby's iniciou na segunda-feira os leilões de primavera, com obras de Paul Signac, René Magritte, Marc Chagall ou Claude Monet, entre outros.

O leilão de obras de arte moderna e impressionista em Nova Iorque prolonga-se até quinta-feira.

Lusa

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.