sicnot

Perfil

Cultura

Cinema europeu pede clemência para cineasta iraniano condenado a 223 chicotadas

Mais de 30 grandes entidades cinematográficas europeias apelaram hoje ao Governo do Irão para conceder clemência a um jovem cineasta iraniano condenado a 223 chicotadas no país.

© Regis Duvignau / Reuters

Keywan Karimi, de 30 anos, arranjou problemas com os Guardas Revolucionários iranianos por causa de um documentário que filmou chamado "Writing on the City" ("Escrevendo na Cidade") sobre 'graffiti' na capital, Teerão.

"É totalmente inaceitável que pelo simples ato de expressar o seu olhar artístico e crítico, Karimi esteja na lista de artistas a quem a liberdade -- se não mesmo a própria vida -- foi roubada", escreveram os organismos numa carta aberta à República Islâmica.

Karimi passou 15 dias em solitária em 2013 e foi acusado de fazer "propaganda contra o regime" e de "insultar os valores religiosos".

Mas desde então, várias outras "ridículas acusações" foram adicionadas, entre as quais beber álcool, ter relações fora do casamento e fazer pornografia, disse o vanguardista cineasta à agência de notícias francesa AFP na semana passada.

"Eu só estava a filmar o que estava a ser escrito nas paredes de Teerão", disse o jovem realizador, pertencente à minoria curda do país.

Karimi foi condenado a seis anos de prisão em 2015, mas, após um apelo internacional em que aclamados cineastas iranianos como Jafar Panahi e Mohsen Makhmalbaf se uniram para o defender, cinco anos da pena foram suspensos.

Contudo, a ameaça das 223 chicotadas não foi retirada, e as autoridades prisionais estão agora a exigir que a punição seja executada.

"Não sou um ativista político, não estou a ser mandado para a prisão porque me oponho ao regime, mas porque sou um cineasta", disse Karimi à AFP numa entrevista por telefone.

"Escrevendo na Cidade" tem sido, desde então, exibido em festivais de cinema em França, Espanha e Suíça e, entretanto, Karimi continuou a trabalhar noutro projeto de filme.

"Estou à espera que me venham buscar. O apoio que tenho recebido ajuda a combater a solidão, e a solidariedade do mundo do cinema também me aquece o coração", acrescentou.

Lusa

  • Top Gun faz 30 anos
    2:34

    Cultura

    Top Gun estreou no cinema há 30 anos. O filme que lançou Tom Cruise na fama mundial foi um dos maiores êxitos de sempre. O tema dos Berlin "Take My Breath Away", composto por Giorgio Moroder, ganhou um Óscar de melhor canção original. Realizado por Tony Scott, o filme retrata a formação de um piloto da Marinha norte-americana. Tom Cruise e o produtor Jerry Bruckheimer querem lançar uma sequela em janeiro de 2017.

  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.