sicnot

Perfil

Cultura

Daniel Craig recusa 88,5 M€ para voltar a ser James Bond

O ator britânico Daniel Craig recusou uma oferta de 88,5 milhões de euros para voltar a interpetar James Bond, revela o Daily Mail. Já em outubro passado O ator tinha dito que preferia cortar os pulsos a desempenhar novamente o papel.

BRITTA PEDERSEN

Escolhido em 2005 para suceder a Pierce Brosnan, o ator de 48 anos recusou a nova oferta dos estúdios MGM dizendo "não ser o que queria" apesar das "avultadas somas de dinheiro", diz o jornal britânico.

Depois da rodagem de "Spectre", que estreou nos cinemas em novembro de 2015, Craig já tinha anunciado que não voltaria a ser o "agente secreto 007 ao serviço de Sua Majestade".

Já circulam rumores sobre o próximo espião, com as apostas mais altas num outro ator britânico, Tom Hiddleston. Foi visto na semana passada com Sam Mendes, realizador de "Skyfall" e de "Spectre", e com Barbara Broccoli, co-produtora.

  • Mário Centeno lidera hoje a primeira reunião do Eurogrupo
    1:56
  • Eleição de Rio "embaraça" PCP e BE
    0:34

    Opinião

    Luís Marques Mendes considera que a eleição de Rui Rio veio criar embaraço ao PCP e Bloco de Esquerda. O comentador da SIC considera que a promessa de que venha a haver pactos de regime entre PS e PSD é motivo de preocupação para os parceiros do Governo.

  • Quem são os arguidos da operação Fizz
    2:29

    País

    É já considerado o julgamento do ano da justiça portuguesa e o caso que está a abalar as relações entre Portugal e Angola. O processo da operação Fizz tem quatro arguidos, mas um deles, já é certo, não irá sentar-se esta segunda-feira no banco dos réus.

  • Que shutdown é este que paralisou os EUA?
    2:27
  • Casal que mantinha filhos acorrentados queria participar num reality show
    3:15
  • Quase 100 atletas testemunharam contra médico Larry Nassar
    1:38

    Desporto

    Quase 100 atletas e antigas ginastas da seleção dos Estados Unidos da América confrontaram esta semana, em tribunal, o médico Larry Nassar, acusado de assédio sexual. Em dezembro, o clínico foi condenado a 60 anos de prisão por um tribunal do Michigan, por posse de pornografia infantil.