sicnot

Perfil

Cultura

Primeira-Dama de "House of Cards" exige igualdade de salários

A atriz Robin Wright exigiu recentemente receber o mesmo salário que Kevin Spacey. Os dois são os protagonistas da popular série "House of Cards".

Robin Wright interpreta Claire Underwood na série House of Cards.

Robin Wright interpreta Claire Underwood na série House of Cards.

© Mario Anzuoni / Reuters

Kevin Spacey interpreta o presidente dos EUA na série House of Cards.

Kevin Spacey interpreta o presidente dos EUA na série House of Cards.

© Mike Blake / Reuters

A atriz interpreta Claire Underwood, a mulher do Presidente dos Estados Unidos da América (Kevin Spacey) na série da Netflix. Para além de atriz, Wright é ocasionalmente produtora executiva da série.

Em entrevista numa conferência organizada pelo Huffington Post, a atriz disse: "É o paradigma perfeito. Existem poucos filmes e séries onde a personagem masculina e a feminina tem igualdade de papéis. Mas é o que acontece em House of Cards".

"Eu estava a ver as estatísticas e percebi que a Claire Underwood era mais popular que o Frank". Foi nesta altura que começou a exigir receber o mesmo salário que o ator. "É bom que me paguem o mesmo que ao Kevin, se não vou a público".

Tal como Kevin Spacey, Robin Wright participou em todos os episódios da série.

Segundo os media norte-americanos, Kevin Spacey estaria a ganhar quase 1 milhão de dólares (cerca de 886 mil euros) por episódio, tornando-o no ator mais bem pago da televisão.

Na mesma altura, a revista Forbes avançou que a protagonista de House of Cards recebia 420 mil dólares (cerca de 372 mil euros) por episódio.

Robin Wright faz parte de um grupo crescente de mulheres em Hollywood, que se têm tornado defensoras da igualdade de salários.

No ano passado, Jennifer Lawrence chamou a atenção por falar sobre receber menos que os atores de "American Hustle", e desde então a atriz tem sido uma das defensoras da igualdade de salários entre homens e mulheres.

  • Primeiro eclipse solar 100% visível nos EUA em 38 anos
    0:40
  • "É muito importante que os EUA mostrem determinação política e militar"
    0:50

    Mundo

    Os exércitos da Coreia do Sul e dos Estados Unidos iniciaram hoje as manobras anuais numa altura marcada pela recente escalada de tensão entre Pyongyang e Washington. Para Miguel Monjardino, comentador da SIC, estes exercícios militares são encarados como uma provocação para a Coreia do Norte. Monjardino defende que é importante que os EUA mostrem determinação no atual clima de tensão nuclear.

  • Campanha eleitoral em Angola chega hoje ao fim

    Mundo

    Os candidatos às eleições gerais angolanas de quarta-feira terminam hoje um mês de campanha, com milhares de quilómetros percorridos, uma breve aparição de José Eduardo dos Santos e as possíveis coligações em destaque.

  • China prepara-se para inaugurar comboio mais rápido do mundo
    1:08