sicnot

Perfil

Cultura

Concertos de Adele este fim de semana em Lisboa esgotados há vários meses

A cantora britânica Adele atua este fim de semana em Portugal, pela primeira vez, e os concertos, hoje e no domingo, na Meo Arena, em Lisboa, estão esgotados há vários meses.

© Mario Anzuoni / Reuters

Tem sido assim, em praticamente toda a nova digressão da artista britânica, iniciada em fevereiro, que contará com mais de uma centena de concertos: lotação esgotada para assistir ao vivo às canções do novo álbum, "25", lançado em novembro.

Em Lisboa não será diferente. Os dois concertos marcados para a Meo Arena, que tem capacidade para acolher até 20.000 pessoas, esgotaram no início de dezembro, e mais de seis mil bilhetes foram comprados no estrangeiro.

Adele, londrina de 28 anos, é um fenómeno na música internacional e, quando se fala dela, é a ordem dos milhões, nas vendas, no número de seguidores na Internet, nas partilhas e visualizações dos vídeos das músicas.

A cantora não editava um novo álbum desde 2011, quando saiu "21", o disco que reúne canções como "Rolling in the Deep" e "Someone Like You", e que lhe valeu seis Grammy e uma entrada no livro de recordes Guiness.

Desde então, a cantora deu alguns concertos, foi forçada a cancelar outros, por problemas nas cordas vocais, ainda gravou "Skyfall", que lhe valeu um Óscar de melhor canção original, e depois dedicou-se à família - teve um filho -, com espaçadas aparições públicas.

"25" - título que remete para a idade em que compôs as canções - é um álbum em que se foca em si mesma, em compreender quem é agora, sem ter dado conta de como o tempo passou, como explica na página oficial na Internet. "Desculpem se demorei muito tempo [a editá-lo], mas, sabem, a vida aconteceu", justificou.

Ao vivo, Adele tem iniciado os concertos com o mais recente sucesso, o tema "Hello", intercalando depois canções recentes - como "When we were young" e "Send my love (to your new lover)" - com as dos discos anteriores.

Nesta digressão - que tem sido palco de pedidos de casamento e outras cenas românticas por parte do público -, são esperados os êxitos "Someone like you", "Rolling in to deep" e "Chasing pavements".

As portas da Meo Arena abrem às 18:30 e os dois concertos terão início às 20:00.

Lusa

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.

  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.