sicnot

Perfil

Cultura

Antigo baterista dos Megadeth morre durante um concerto

Nick Menza morreu durante um concerto num clube de jazz em Los Angeles, nos Estados Unidos da América. O antigo baterista da banda Megadeth tinha 51 anos.

facebook.com/officialnickmenza

facebook.com/officialnickmenza

facebook.com

Nick Menza atuava com a banda OHM, em Los Angeles, quando sofreu um ataque cardíaco em palco.

A notícia já foi confirmada pelo manager de Menza. O The Guardian avançou com um comunicado do manager: "O Nick caiu durante a terceira música do set da banda OHM. O relatório indica que ele sofreu um ataque cardíaco e foi declarado morto quando chegou ao hospital".

As reações multiplicaram-se nas redes sociais.

Dave Mustaine, um dos fundadores dos Megadeth, disse no no Twitter que acordou às 04:00 com as notícias. "Diz-me que não é verdade", escreveu no Twitter.

No Facebook, Marty Friedman, antigo guitarrista da banda, escreveu: "Todos nós sabemos o quão grande e único baterista que Nick era, mas ele era também um amigo de confiança, um colega de banda hilariante e um pai carinhoso. Estou muito triste e não estava à espera que isto acontecesse. RIP Irmão".

Nick Meza foi um dos bateristas dos Megadeth. A banda foi fundada em 1983 pelo guitarrista Dave Mustaine, depois de este ter abandonado os Metallica.

Nick Meza entrou para a banda em 1989 para substituir Chuck Behler, despedido por Mustaine.

Tocou na banda durante a década de 90, quando saíram os discos com mais sucesso.

Saiu da banda em 1998, quando teve de ser operado durante uma tour em 1997.

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15