sicnot

Perfil

Cultura

Quadros de Maria Helena Vieira da Silva e José Malhoa vão a leilão

Os quadros a óleo "Fête foraine", de Maria Helena Vieira da Silva, e "Na horta", de José Malhoa, vão à praça a partir de terça-feira num leilão organizado pelo Palácio do Correio Velho, em Lisboa.

De acordo com a leiloeira, um total de 1.071 lotes vão ser apresentados neste leilão, a realizar entre 31 de maio e 03 de junho, com peças desde pintura, escultura, porcelana, numismática, livros raros e mobiliário.

Em destaque, na pintura estarão "Fête foraine" (1959), um óleo sobre tela de Maria Helena Vieira da Silva (1908-1992), que irá à praça por um valor base de 60.000 euros, e "Na horta" (1924), óleo sobre tela colada sobre madeira, de José Malhoa (1855-1933), por 40.000 euros.

No leilão, vão ainda ser apresentadas obras de arte moderna e contemporânea de Abel Salazar, Alda Machado, Almada Negreiros, Alves Cardoso, Antoni Clavé, Areal, Botelho, Calvet, Cargaleiro, Cesariny, Condeixa, Contente, Cutileiro, Dórdio Gomes, Falcão Trigoso, Higino Mendonça, Hogan, João Vaz, Joaquim Rodrigo, José de Guimarães, Júlio Pomar, Machado De Castro, Manuel Rosé, Menez, Morgado De Setúbal, Nikias Skapinakis, Roque Gameiro e Silva Porto, entre outros.

Também vão a leilão, entre outras obras de artes decorativas, um painel de azulejos D. João V, da primeira metade do século XVIII, por 30.000 euros, e um biombo chinês da primeira metade do século XIX, por 15.000 euros.

As peças são provenientes, entre outras, da Coleção de António e Isabel Melo e da Coleção Família Nobre Guedes, descendentes dos Condes de Marim, de Alte e de Selir, indica o Palácio do Correio Velho.

Lusa

  • Incêndios em Portugal - um mês depois
    9:10

    Reportagem Especial

    Regressar a casa para refazer a vida é tudo o que querem as famílias a quem o fogo levou quase tudo, há cerca de um mês. Contudo, esse regresso não tem sido fácil. Depois dos incêndios, famílias e empresas ainda têm de vencer as burocracias. A Reportagem Especial deste sábado regressa a Seia, onde arderam mais de 70 casas de primeira habitação e onde a vida de muitos parece ter entrado num impasse.

  • CIP contra 600€ de salário mínimo, ameaça boicatar iniciativas do governo
    1:28

    Economia

    O presidente da Confederação Empresarial de Portugal (CIP) está contra o aumento do salário mínimo para 600€. Em entrevista conjunta à Antena1 e ao Jornal de Negócios, o presidente António Saraiva considerou a proposta "uma luta partidária" dos comunistas com o Bloco de Esquerda" e ameaça boicotar a presença em iniciativas publicas, promovidas pelo executivo.