sicnot

Perfil

Cultura

Quadros de Maria Helena Vieira da Silva e José Malhoa vão a leilão

Os quadros a óleo "Fête foraine", de Maria Helena Vieira da Silva, e "Na horta", de José Malhoa, vão à praça a partir de terça-feira num leilão organizado pelo Palácio do Correio Velho, em Lisboa.

De acordo com a leiloeira, um total de 1.071 lotes vão ser apresentados neste leilão, a realizar entre 31 de maio e 03 de junho, com peças desde pintura, escultura, porcelana, numismática, livros raros e mobiliário.

Em destaque, na pintura estarão "Fête foraine" (1959), um óleo sobre tela de Maria Helena Vieira da Silva (1908-1992), que irá à praça por um valor base de 60.000 euros, e "Na horta" (1924), óleo sobre tela colada sobre madeira, de José Malhoa (1855-1933), por 40.000 euros.

No leilão, vão ainda ser apresentadas obras de arte moderna e contemporânea de Abel Salazar, Alda Machado, Almada Negreiros, Alves Cardoso, Antoni Clavé, Areal, Botelho, Calvet, Cargaleiro, Cesariny, Condeixa, Contente, Cutileiro, Dórdio Gomes, Falcão Trigoso, Higino Mendonça, Hogan, João Vaz, Joaquim Rodrigo, José de Guimarães, Júlio Pomar, Machado De Castro, Manuel Rosé, Menez, Morgado De Setúbal, Nikias Skapinakis, Roque Gameiro e Silva Porto, entre outros.

Também vão a leilão, entre outras obras de artes decorativas, um painel de azulejos D. João V, da primeira metade do século XVIII, por 30.000 euros, e um biombo chinês da primeira metade do século XIX, por 15.000 euros.

As peças são provenientes, entre outras, da Coleção de António e Isabel Melo e da Coleção Família Nobre Guedes, descendentes dos Condes de Marim, de Alte e de Selir, indica o Palácio do Correio Velho.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.