sicnot

Perfil

Cultura

Fox pede desculpas por imagem "machista" de "X-Men: Apocalipse"

A 20th Century Fox veio pedir desculpas pelo cartaz do novo filme da saga "X-Men", no qual o vilão Apocalipse aparece a asfixiar Mística, interpretada por Jennifer Lawrence. O estúdio reconhece que a imagem tem uma "conotação perturbadora".

20th Century Fox

"No nosso entusiasmo por mostrar a maldade do personagem Apocalipse, não percebemos d eimediato a conotação perturbadora esta imagem. Assim que percebemos o quão insensível ela era, rapidamente tomámos medidas para remover todo o material publicitário. Pedimos desculpas pelas nossas ações e nunca apoiaríamos a violência contra as mulheres", afirma a Fox em comunicado.

A polémica em torno da imagem surgiu nas redes sociais, sobretudo após a crítica da atriz Rose McGowan, numa entrevista ao The Hollywood Reporter.

No Twitter, são muitas as críticas de sexismo feitas à Fox.

"X-Men: Apocalipse estreou nos EUA sem grande brilho, com vendas de bilheteira na ordem dos 60 milhões de euros, quando o anterior tinha rendido cerca de 100 milhões de euros no seu lançamento.

  • Mário Centeno lidera hoje a primeira reunião do Eurogrupo
    1:56
  • Eleição de Rio "embaraça" PCP e BE
    0:34

    Opinião

    Luís Marques Mendes considera que a eleição de Rui Rio veio criar embaraço ao PCP e Bloco de Esquerda. O comentador da SIC considera que a promessa de que venha a haver pactos de regime entre PS e PSD é motivo de preocupação para os parceiros do Governo.

  • Quem são os arguidos da operação Fizz
    2:29

    País

    É já considerado o julgamento do ano da justiça portuguesa e o caso que está a abalar as relações entre Portugal e Angola. O processo da operação Fizz tem quatro arguidos, mas um deles, já é certo, não irá sentar-se esta segunda-feira no banco dos réus.

  • Que shutdown é este que paralisou os EUA?
    2:27
  • Casal que mantinha filhos acorrentados queria participar num reality show
    3:15
  • Quase 100 atletas testemunharam contra médico Larry Nassar
    1:38

    Desporto

    Quase 100 atletas e antigas ginastas da seleção dos Estados Unidos da América confrontaram esta semana, em tribunal, o médico Larry Nassar, acusado de assédio sexual. Em dezembro, o clínico foi condenado a 60 anos de prisão por um tribunal do Michigan, por posse de pornografia infantil.