sicnot

Perfil

Cultura

SBSR estende-se mais para o Tejo e tem dia de Kendrick Lamar quase esgotado

O festival Super Rock, em julho, em Lisboa, terá o recinto estendido até à beira do Tejo, mas a capacidade mantém-se nos 20.000 espectadores. Os bilhetes para o dia 16 estão quase esgotados.

(Arquivo)

(Arquivo)

O 22.º Super Bock Super Rock (SBSR) decorrerá de 14 a 16 de julho e este último dia - com atuações de Kendrick Lamar, De La Soul, Orelha Negra e GNR - está a 1.500 bilhetes de esgotar, como afirmou hoje o promotor Luís Montez, numa conferência de imprensa no Parque das Nações.

"Temos o cuidado de fazer um festival coerente, para quem gosta de música. Aqui vai-se mesmo pelo música, não é certamente pelo campismo, não é pelo passeio, é pela música", afirmou o promotor à agência Lusa.

Pelo segundo ano, o festival de música acontece naquela zona da cidade - renovada nos anos 1990 por causa da Expo'98 -, com os concertos a repartirem-se por quatro espaços: O Meo Arena e a sala adjacente, um palco debaixo da pala do Pavilhão de Portugal e um outro junto às escadas do antigo Pavilhão Atlântico.

A lotação do festival volta a ser fixada nos 20.000 espectadores - a capacidade do Meo Arena -, porque "isto é um festival para fanáticos da música (...), com um cartaz coerente, com um custo suportável pelo público", disse.

Aos jornalistas, Jwana Godinho, responsável pelo delinear do cartaz, afirmou que esta é uma edição "que vai ao encontro das expectativas do público", com uma grande aposta na música portuguesa e com vários regressos a Portugal de artistas que estão num momento importante de carreira ou têm já uma ligação antiga com Portugal.

Kendrick Lamar, descrito como uma "superestrela do rap", pela revista Rolling Stone, Iggy Pop, um dos pioneiros do punk rock, e os The National, que têm uma longa relação afetiva com o público português, foram três dos nomes citados por Jwana Godinho.

Os ajustes feitos ao recinto notar-se-ão na orientação da entrada do festival e no alargamento para o Pontão das Tágides, uma língua de passeio junto ao rio e debaixo da linha do teleférico, para acolher a zona de restauração, libertando assim a circulação do público entre palcos.

Luís Montez referiu que as obras que estão a ser feitas ao nível da acústica do Meo Arena estarão concluídas a tempo do festival.

A organização recomenda o uso de transportes públicos, nomeadamente metro e comboio, no acesso ao festival.

Toda a programação e informações de acesso e bilhetes está disponível em www.superbocksuperrock.pt


Lusa

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Trump não escreve todos os tweets, mas dita-os

    Mundo

    O Presidente eleito dos EUA não escreve todos os tweets que são publicados na sua conta desta rede social, mas dita-os aos seus funcionários. Numa entrevista a um ex-secretário de Estado britânico, Donald Trump explica como usa a sua conta e garante que depois de ser investido Presidente, vai continuar a usar o Twitter para defender-se da "imprensa desonesta".

  • Depressão pode ser mais prejudicial para o coração do que a hipertensão

    Mundo

    Um estudo recente estabelece uma nova ligação entre depressão e distúrbios cardíacos. De acordo com a investigação publicada na revista Atheroscleroses, o risco de vir a sofrer de uma doença cardíaca grave é quase tão elevado para os homens que sofram de depressão, do que para os que tenham colesterol elevado ou obesidade, e pode mesmo ser maior do que para os que sofram de hipertensão.

  • "Estar na Web Summit foi dizer em empreendedorês: estamos vivos, estamos aqui!"

    Web Summit

    No seguimento da entrevista à blogger Sara Riobom, que conhecemos durante a WebSummit, trazemos a história de outro jovem português (que não trabalha sozinho) que esteve no evento, em Lisboa, a promover a sua startup. Quis o acaso e as peripécias do direto e do destino que acabasse por receber um visitante ilustre e especial no seu stand: nada mais nada menos do que o primeiro-ministro, António Costa. Recentemente estiveram no Shark Tank, onde conseguiram captar a atenção de um dos “tubarões” do programa da SIC. Mas o que queremos saber é…

    Martim Mariano