sicnot

Perfil

Cultura

Morreu o escritor futurista Alvin Toffler

O escritor futurista norte-americano Alvin Toffler, autor de livros como a "Terceira Vaga" que inspiraram líderes mundiais, morreu em sua casa em Los Angeles, aos 87 anos, anunciou na quarta-feira a sua empresa de consultadoria.

© Phil McCarten / Reuters

Segundo um comunicado da Toffler Associates, o autor morreu segunda-feira. Não foi dada informação sobre a causa de morte.

No seu livro mais famoso, "Future Shock", publicado em 1970, Alvin Toffler falou sobre as mudanças sociais esperadas para o mundo.

Durante a sua carreira, previu corretamente vários desenvolvimentos económicos e tecnológicos, incluindo a clonagem, o casamento homossexual e a aceleração na transmissão de informação.

"Muitas daquelas previsões foram confirmadas e a tese central do seu trabalho, que uma nova economia baseada no conhecimento substituiria a era industrial, provou estar correta", escreve, no comunicado, a sua empresa de consultadoria.

Publicado em 50 países, o "Future Shock" vendeu 15 milhões de exemplares.

Em Portugal, o autor é mais conhecido pela "Terceira Vaga".

Lusa

  • Um dos conflitos mais sangrentos e esquecidos do planeta pelo olhar de uma portuguesa
    3:20

    Mundo

    A guerra do Congo, que opõe milícias rebeldes ao regime de Kabila, já dura há 20 anos e fez seis milhões de mortos, quatro milhões de deslocados internos e um número crescente de refugiados. Um dos conflitos mais sangrentos e esquecidos do planeta tem levado milhares de civis a passar a fronteira para Angola. A médica portuguesa Ana Paula Cruz testemunhou o drama silencioso dos congoleses nos campos de refugiados da Lunda Norte.

  • "Este é o elefante na sala sobre a saúde!"
    1:43

    País

    Catarina Martins acusa o Governo de estar alinhado com a direita na promoção de negócios privados na área da saúde. O Bloco de Esquerda quer uma nova lei de bases aprovada até ao final da legislatura e arrancou ontem com um ciclo nacional de sessões públicas para defender o Serviço Nacional de Saúde.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "No meu bairro perguntam-me se a medalha é de ouro e dizem que ma vão roubar e vender"
    4:46
  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05