sicnot

Perfil

Cultura

Morreu o escritor futurista Alvin Toffler

O escritor futurista norte-americano Alvin Toffler, autor de livros como a "Terceira Vaga" que inspiraram líderes mundiais, morreu em sua casa em Los Angeles, aos 87 anos, anunciou na quarta-feira a sua empresa de consultadoria.

© Phil McCarten / Reuters

Segundo um comunicado da Toffler Associates, o autor morreu segunda-feira. Não foi dada informação sobre a causa de morte.

No seu livro mais famoso, "Future Shock", publicado em 1970, Alvin Toffler falou sobre as mudanças sociais esperadas para o mundo.

Durante a sua carreira, previu corretamente vários desenvolvimentos económicos e tecnológicos, incluindo a clonagem, o casamento homossexual e a aceleração na transmissão de informação.

"Muitas daquelas previsões foram confirmadas e a tese central do seu trabalho, que uma nova economia baseada no conhecimento substituiria a era industrial, provou estar correta", escreve, no comunicado, a sua empresa de consultadoria.

Publicado em 50 países, o "Future Shock" vendeu 15 milhões de exemplares.

Em Portugal, o autor é mais conhecido pela "Terceira Vaga".

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras