sicnot

Perfil

Cultura

Sai em Portugal livro infantil que causou protestos nos EUA

O livro para crianças "Três com Tango", sobre a história verídica de um bebé pinguim criado por uma família de dois pinguins do mesmo sexo, e que causou polémica nos Estados Unidos, é editado agora em Portugal.

"Três com Tango", escrito por Justin Richardson e Peter Parnell, com ilustração de Henry Cole, foi publicado originalmente em 2005 e, desde então, tem sido premiado, mas também alvo de tentativas de censura por abordar questões relacionadas com a adopção por casais do mesmo sexo.

No livro, os autores transpõem a história verdadeira, ocorrida há mais de dez anos no jardim zoológico do Central Park, em Nova Iorque, onde dois pinguins do mesmo sexo fizeram um ninho e tentaram chocar uma pedra. O tratador dos animais colocou um ovo no lugar da pedra e os dois pinguins acabam por formar família e adotar uma cria de pinguim.

A história verídica foi amplamente noticiada pela imprensa americana e chamou a atenção de Justin Richardson, psiquiatra, e do marido, Peter Parnell, dramaturgo, que decidiram depois escrever um pequeno conto para crianças.

Por fazer referência à homossexualidade e à constituição de uma família por casais do mesmo sexo, "Três com Tango" foi alvo nos Estados Unidos de mais de 500 queixas para que fosse retirado ou banido das bibliotecas escolares ou locais.

Na altura, a Associação de Bibliotecas dos Estados Unidos admitiu que mais nenhum outro livro para crianças teve tantas queixas como este nos Estados Unidos. Ainda assim, a associação distinguiu-o como um dos melhores livros de 2006.

Por imprimir valores sobre tolerância, respeito, individualidade e direito à constituição de família, "Três com Tango" somou vários outros prémios nos Estados Unidos.

Com tradução de Gabriela Rocha Alves, "Três com Tango" é editado em Portugal pela Kalandraka e recomendado para crianças a partir dos quatro anos.

  • Paula Brito e Costa continua a trabalhar na Raríssimas

    País

    Depois de ter apresentado a demissão do cargo de presidente da Raríssimas, Paula Brito e Costa mantém-se a exercer funções na associação, apurou a SIC. Identifica-se agora como diretora-geral e já comunicou isso mesmo a alguns funcionários.

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • Estabilização dos solos nas áreas ardidas
    1:58

    País

    Está a começar uma intervenção de emergência para estabilizar os solos nas áreas ardidas nos incêndios florestais. O trabalho das equipas que estão no terreno arrancou na zona da Lousã mas vai passar por vários concelhos como Pampilhosa da Serra e Vila Real.