sicnot

Perfil

Cultura

Alive com Pixies, Chemical Brothers e Robert Plant no primeiro dia

Com passes e bilhetes já esgotados, começa hoje o décimo festival de música NOS Alive, no Passeio Marítimo de Algés. Até sábado haverá mais de 120 concertos, a começar com Pixies, Chemical Brothers e Robert Plant.

Robert Plant

Robert Plant

© Ints Kalnins / Reuters

"Quando anunciámos o festival, sempre dissemos que queríamos que fosse um grande festival português e internacional, acho que conseguimos as duas coisas", afirmou o promotor Álvaro Covões à agência Lusa.

Essa aposta na internacionalização faz com que este ano sejam esperados mais de 31.000 estrangeiros no festival. Todos terão de fazer escolhas perante um cartaz com tantos artistas, do rock ao 'hip hop', do fado à eletrónica.

Para hoje estão marcados os regressos dos Pixies e Chemical Brothers, a atuação de Robert Plant - que deverá recuperar alguns temas dos Led Zeppelin -, dos Wolf Alice, John Grant e uma dupla presença dos belgas David e Stephen Dewaele, com Soulwax e 2manydjs.

A presença portuguesa dá-se, por exemplo, com Branko, Xinobi, Sean Rilley & The Slowriders, Golden Slumbers, Throes + The Shine e - no novo palco dedicado ao fado - Marco Rodrigues, Raquel Tavares e os Dead Combo.

Até sábado, são esperados ainda Radiohead, Arcade Fire, Tame Impala, M83, Foals, Grimes, Father John Misty, Courtney Barnett, Carlão, Paus, Mundo Segundo e Sam The Kid, Tiago Bettencourt e Calexico e José González.

O recinto tem capacidade para 55 mil pessoas e, de acordo com o promotor, haverá uma pessoa da organização, para cada 11 espectadores, porque, "em cada dia, trabalham no festival cerca de cinco mil pessoas".

De acordo com a previsão meteorológica, as temperaturas vão variar entre os 20 e os 32 graus centígrados.

O festival Nos Alive aconteceu pela primeira vez em 2007 e, desde então, acolheu mais de 700 concertos e 1,7 milhões de espectadores.

Lusa

  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.