sicnot

Perfil

Cultura

Exposição no Porto alerta para poluição marítima causada por lixo plástico

Vários locais emblemáticos da cidade do Porto acolhem, até ao último dia de julho, três estátuas criadas por alunos da Escola Superior Artística com o objetivo de alertar para a poluição marítima causada pelo lixo plástico.

© Carlos Jasso / Reuters

"Um Oceano em Plástico" levou à instalação de estátuas feitas com plásticos descartáveis na avenida dos Aliados, na estação ferroviária de São Bento e no largo de São Domingos, explica um comunicado do Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR), organizador do evento.

As esculturas, concebidas no âmbito da campanha Ocean Action, retratam "diferentes consequências dos detritos plásticos sobre a vida marinha e a saúde humana", lê-se no documento.

"Estudos recentes mostram que mais de oito milhões de toneladas de plástico vão parar todos os anos ao oceano, levados pelo vento, pela chuva, pelos esgotos, pelos rios ou diretamente depositados nas praias ou no mar", acrescenta.

A maior parte desse plástico vai para os fundos marinhos, ficando o restante a flutuar em áreas de acumulação de lixo, no centro dos oceanos, sendo depois trazidos novamente para as praias, o que causa graves danos nas populações de animais marinhos.

Para além disso, este material apresenta uma alta durabilidade, separando-se "apenas em partículas cada vez menores", devido à ação do sol, que absorvem contaminantes da água e podem ser ingeridos pelo zooplâncton e pequenos peixes. Este processo leva a uma "corrente de acumulação de contaminantes ao longo da cadeia alimentar, que pode acabar no nosso prato", lê-se ainda.

Para José Teixeira, coordenador da campanha, "esta iniciativa recorre ao uso da arte para cativar a atenção da sociedade para questões científicas e ambientais complexas de grande relevância".

Em iniciativas paralelas à exposição, financiada pelo programa EEA Grants, vão realizar-se atividades científicas e de sensibilização em escolas, ações de limpeza de praias, um concurso escolar, uma exposição itinerante e a produção de vídeos educativos.

Com Lusa

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.