sicnot

Perfil

Cultura

Radiohead foram os cabeça de cartaz do segundo dia do Nos Alive

Radiohead foram os cabeça de cartaz do segundo dia do Nos Alive

Os Radiohead estiveram na sexta-feira no festival NOS Alive, em Algés, por conta de um novo álbum, "A moon shaped pool", mas foram as canções dos primeiros tempos, em modo nostalgia, que causaram comoção no público.

Foi já no segundo 'encore' que muitos dos 55 mil espectadores fizeram um sorriso incrédulo ao ouvirem os primeiros acordes de "Creep", música do álbum de estreia dos Radiohead, de 1993, e que estava há muito tempo arreada das anteriores digressões do grupo.

Havia gente emocionada e dezenas com telemóveis erguidos não só a registar esse momento, mas também aqueles em que os Radiohead interpretaram "Karma Police", "Paranoid Android" e "Street Spirit (Fade out)", todos de álbuns editados antes do fim do milénio.

Para a nova digressão, a banda já tinha admitido que ensaiou mais de meia centena de canções, de modo a poder escolher alinhamentos distintos.

Abriram o concerto com temas novos, entre os quais "Burn the witch" e "Daydreaming", e percorreram praticamente toda a discografia, com destaque para a prestação do guitarrista Jonny Greenwood.

Contrastaram o rock mais distorcido dos primeiros tempos com a sonoridade mais experimental dos registos mais recente e tiveram tempo ainda de por à prova o mais fanático dos espectadores, tocando, por exemplo, "Talk show host", um lado-B dos anos 1990.

Horas antes, no palco dos Radiohead os australianos Tame Impala mostraram o álbum "Currents" e que ditou uma toada psicadélica, mas mais dançante, do repertório anterior. A atuação teve direito a confettis e raparigas a despirem camisolas e soutiens na plateia, para espanto do vocalista, Kevin Parker.

Num dia em que o hip hop português também reinou, a tenda Heineken assistiu, entre outros concertos, à estreia lisboeta do músico norte-americano J. Tillman, a destilar sexualidade no papel de Father John Misty e a interpretar canções como "I Love You, Honeybear" e "Bored in the USA". Apesar de ter dito que não tinha muito jeito para gerir multidões em festivais, foi recebido com histeria e devoção.

O segundo dia do festival Alive, cujo bilhetes esgotaram ainda na primavera muito por conta dos Radiohead, só termina pelas 04:00, já madrugada de sábado, depois ainda das atuações de Rocky Marsiano, Hot Chip e do DJ A boy Named Sue.

Com Lusa

  • Coutinho e Neymar salvam Brasil de empatar com a Costa Rica já na compensação

    Mundial 2018 / Brasil

    O Brasil venceu a Costa Rica por 2-0 numa partida a contar para a 2ª jornada do grupo E do Mundial da Rússia. Contas feitas, o Brasil sobe para o primeiro lugar do grupo, com 4 pontos, seguido da Sérvia com 3 pontos. A Suíça (1 ponto) e a Costa Rica (0 pontos) ocupam, assim, os últimos lugares da tabela.

  • Moutinho e Rafael Guerreiro de "baixa", Fonte disponível "para tocar bombo"
    1:52
  • Mulher morre após ser mandada para casa pelo Centro Hospitalar do Oeste
    2:23

    País

    Uma mulher morreu depois de ter tido alta no Centro Hospitalar do Oeste. Há fortes suspeitas que tenha sido vítima de um diagnóstico mal feito por uma empresa de telemedicina. O Bastonário da Ordem dos Médicos quer avaliar todos os contratos do Estado com serviços de telemedicina e impedir que as empresas e os hospitais fujam às responsabilidades. Até agora ninguém foi responsabilizado, a família apresentou várias queixas e Entidade Reguladora da Saúde abriu um inquérito.

  • Antigo campeão nacional de Ori-BTT, de 19 anos, morreu em colisão com carro
    1:42

    País

    Um ciclista de 19 anos morreu e o pai ficou gravemente ferido, numa colisão com uma viatura que fazia uma inversão de marcha, em Loulé, na quarta-feira. Quando o acidente aconteceu, o jovem estava a treinar para um campeonato na Hungria, onde ia participar dentro de poucos dias. Duarte Lourenço, que chegou a ser campeão nacional de Ori-BTT, pertencia ao escalão de Juniores, devido à sua idade, mas por vontade própria fazia escalão Sénior.