sicnot

Perfil

Cultura

Radiohead foram os cabeça de cartaz do segundo dia do Nos Alive

Radiohead foram os cabeça de cartaz do segundo dia do Nos Alive

Os Radiohead estiveram na sexta-feira no festival NOS Alive, em Algés, por conta de um novo álbum, "A moon shaped pool", mas foram as canções dos primeiros tempos, em modo nostalgia, que causaram comoção no público.

Foi já no segundo 'encore' que muitos dos 55 mil espectadores fizeram um sorriso incrédulo ao ouvirem os primeiros acordes de "Creep", música do álbum de estreia dos Radiohead, de 1993, e que estava há muito tempo arreada das anteriores digressões do grupo.

Havia gente emocionada e dezenas com telemóveis erguidos não só a registar esse momento, mas também aqueles em que os Radiohead interpretaram "Karma Police", "Paranoid Android" e "Street Spirit (Fade out)", todos de álbuns editados antes do fim do milénio.

Para a nova digressão, a banda já tinha admitido que ensaiou mais de meia centena de canções, de modo a poder escolher alinhamentos distintos.

Abriram o concerto com temas novos, entre os quais "Burn the witch" e "Daydreaming", e percorreram praticamente toda a discografia, com destaque para a prestação do guitarrista Jonny Greenwood.

Contrastaram o rock mais distorcido dos primeiros tempos com a sonoridade mais experimental dos registos mais recente e tiveram tempo ainda de por à prova o mais fanático dos espectadores, tocando, por exemplo, "Talk show host", um lado-B dos anos 1990.

Horas antes, no palco dos Radiohead os australianos Tame Impala mostraram o álbum "Currents" e que ditou uma toada psicadélica, mas mais dançante, do repertório anterior. A atuação teve direito a confettis e raparigas a despirem camisolas e soutiens na plateia, para espanto do vocalista, Kevin Parker.

Num dia em que o hip hop português também reinou, a tenda Heineken assistiu, entre outros concertos, à estreia lisboeta do músico norte-americano J. Tillman, a destilar sexualidade no papel de Father John Misty e a interpretar canções como "I Love You, Honeybear" e "Bored in the USA". Apesar de ter dito que não tinha muito jeito para gerir multidões em festivais, foi recebido com histeria e devoção.

O segundo dia do festival Alive, cujo bilhetes esgotaram ainda na primavera muito por conta dos Radiohead, só termina pelas 04:00, já madrugada de sábado, depois ainda das atuações de Rocky Marsiano, Hot Chip e do DJ A boy Named Sue.

Com Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • ERSE concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões euros a mais à EDP
    0:53

    País

    José Gomes Ferreira afirmou esta sexta-feira que a ERSE -Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões de euros a mais do que o necessário à EDP. Contratos que foram postos em prática em 2007 por Manuel Pinho, na altura ministro da Economia.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59