sicnot

Perfil

Cultura

Radiohead foram os cabeça de cartaz do segundo dia do Nos Alive

Radiohead foram os cabeça de cartaz do segundo dia do Nos Alive

Os Radiohead estiveram na sexta-feira no festival NOS Alive, em Algés, por conta de um novo álbum, "A moon shaped pool", mas foram as canções dos primeiros tempos, em modo nostalgia, que causaram comoção no público.

Foi já no segundo 'encore' que muitos dos 55 mil espectadores fizeram um sorriso incrédulo ao ouvirem os primeiros acordes de "Creep", música do álbum de estreia dos Radiohead, de 1993, e que estava há muito tempo arreada das anteriores digressões do grupo.

Havia gente emocionada e dezenas com telemóveis erguidos não só a registar esse momento, mas também aqueles em que os Radiohead interpretaram "Karma Police", "Paranoid Android" e "Street Spirit (Fade out)", todos de álbuns editados antes do fim do milénio.

Para a nova digressão, a banda já tinha admitido que ensaiou mais de meia centena de canções, de modo a poder escolher alinhamentos distintos.

Abriram o concerto com temas novos, entre os quais "Burn the witch" e "Daydreaming", e percorreram praticamente toda a discografia, com destaque para a prestação do guitarrista Jonny Greenwood.

Contrastaram o rock mais distorcido dos primeiros tempos com a sonoridade mais experimental dos registos mais recente e tiveram tempo ainda de por à prova o mais fanático dos espectadores, tocando, por exemplo, "Talk show host", um lado-B dos anos 1990.

Horas antes, no palco dos Radiohead os australianos Tame Impala mostraram o álbum "Currents" e que ditou uma toada psicadélica, mas mais dançante, do repertório anterior. A atuação teve direito a confettis e raparigas a despirem camisolas e soutiens na plateia, para espanto do vocalista, Kevin Parker.

Num dia em que o hip hop português também reinou, a tenda Heineken assistiu, entre outros concertos, à estreia lisboeta do músico norte-americano J. Tillman, a destilar sexualidade no papel de Father John Misty e a interpretar canções como "I Love You, Honeybear" e "Bored in the USA". Apesar de ter dito que não tinha muito jeito para gerir multidões em festivais, foi recebido com histeria e devoção.

O segundo dia do festival Alive, cujo bilhetes esgotaram ainda na primavera muito por conta dos Radiohead, só termina pelas 04:00, já madrugada de sábado, depois ainda das atuações de Rocky Marsiano, Hot Chip e do DJ A boy Named Sue.

Com Lusa

  • "Há uma grande diferença em relação à anterior liderança do PSD"
    14:29

    País

    O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, esteve esta quarta-feira na Edição da Noite da SIC Notícias. As novas relações com o PSD e a reprogramação do Portugal 2020 foram alguns dos temas de conversa. Pedro Marques defende que existe "uma grande diferença" entre as lideranças de Passos Coelho e Rui Rio no PSD.

    Entrevista SIC Notícias

  • Dia de homenagens e muito futebol para Marcelo em São Tomé
    3:01

    País

    No segundo dia da visita de Estado a São Tomé e Príncipe, o Presidente da República prestou homenagem às vítimas do massacre de Batepá, em 1953. Marcelo Rebelo de Sousa não pediu desculpa pela história, mas lembrou que é preciso assumir as coisas menos boas do passado. O dia terminou com o Presidente a mostrar que ainda está em forma.

    Enviados SIC

  • Patinadora enfrenta "pesadelo" nos Olímpicos

    Desporto

    A patinadora Gabriella Papadakis enfrentou na segunda-feira um dos "piores pesadelos" da sua vida, durante a estreia nos Jogos Olímpicos de Inverno, em Pyeongchang, na Coreia do Sul. Durante a apresentação, a parte de cima do vestido da francesa saiu do lugar e revelou parte do seu seio. Mas este não foi o único caso de incidentes com figurinos. Também a sul-coreana Yura Min quase ficou despida durante a sua apresentação.

    SIC

  • Casal mantinha filhos trancados sem comida

    Mundo

    Se pensava que só existia uma casa dos horrores, a da família Turpin, desengane-se. A polícia de Tucson, no estado norte-americano do Arizona, deteve na terça-feira um casal que mantinha os quatro filhos adotivos trancados em quartos separados.

    SIC

  • Pigcasso, a porca pintora que tem uma galeria de arte

    Mundo

    O nome sugere o talento da artista que vive na Cidade do Cabo, na África do Sul. Pigcasso estava prestes a morrer, quando foi resgatada por uma ativista que a ajudou a enveredar pelo caminho da pintura. Desde pequena começou a pegar em pincéis e agora é o primeiro animal do mundo com uma galeria de arte, onde já lançou a sua primeira exposição intitulada 'Oink!'.