sicnot

Perfil

Cultura

Moullinex prepara tributo a Prince no SBSR

O músico Luís Clara Gomes, que assina como Moullinex, fará duas atuações no festival Super Rock, em Lisboa, uma das quais de tributo a Prince, que morreu em abril.

Facebook

Na sexta-feira, na sala adjacente do Meo Arena, o músico estará "mais focado na pista e na música dançável. Como a hora é tardia, o foco é dar calos nos pés", disse, à agência Lusa, entre risos.

No sábado, no Super Bock Super Rock (SBSR), a convite da Antena 3, Moullinex conduzirá um concerto de tributo ao músico norte-americano Prince, uma espécie de "catarse" que terá vários convidados, entre os quais Selma Uamusse, Samuel Úria e Da Chick.

Serão duas atuações distintas, duas faces de um músico e produtor que a imprensa portuguesa elogiou em 2015, por causa do álbum "Elsewhere", feito de música eletrónica, disco, funk, rock e música popular brasileira.

"Uma face que é Moullinex nos originais e remisturas, e outra que é quase como abrir a porta e mostrar 'obrigado Prince, porque, se calhar, era um engenheiro informático se não fosse a tua música'", admitiu em entrevista à Lusa.

Luís Clara Gomes foi um dos fundadores da editora Discotexas, editou vários EP, dois álbuns e fez remisturas para nomes como Cut Copy, Two Doors Cinema Club e Sebastien Tellier.

"Acordar de manhã e poder fazer aquilo de que gostamos e fazer música a cem por cento - com a música, com a editora -, estar ocupado e chegar ao final do dia e não sentir cansaço mas prazer, é um privilégio", disse.

Depois de uma digressão pelos Estados Unidos e América do Sul, registada num documentário feito para a Red Bull, e num verão ainda com algumas atuações, Moullinex prepara um novo álbum. "Está bastante avançado e pretendo pôr músicas cá fora, o mais rápido possível", disse.

O 22.º festival SBSR começa hoje no Parque das Nações e termina no sábado com um cartaz que inclui, entre outros, Iggy Pop, Kendrick Lamar, The National, Kurt Vile, De La Soul, Massive Attack, Capitão Fausto e Orelha Negra.

Lusa

  • As zonas de guerra que o fogo deixou
    3:13

    País

    A chuva finalmente ajudou na luta contra as chamas e o que fica agora é um cenário de devastação no norte e centro do país. Morreram 37 pessoas, arderam centenas de casas e empresas e há críticas severas à falta de meios.

  • Visto do céu, Portugal é um país que se vestiu de negro
    3:28
  • Portugueses usam Facebook para marcar protestos contra incêndios

    País

    Os incêndios que têm acontecido este ano estão a causar revolta entre a população. Por essa razão, estão marcadas, através da rede social Facebook, várias manifestações para os próximos dias um pouco por todo o país. Os portugueses exigem a melhoria do sistema, para que as tragédias deste ano não se voltem a repetir.

  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06
  • "Quem está no Governo tem sérias responsabilidades"
    1:07

    Opinião

    Pacheco Pereira aponta falhas do Estado, dos bombeiros e da Proteção Civil como causa dos incêndios que assolaram o país no passado domingo. O comentador da SIC considera que o Governo tem responsabilidade perante o que aconteceu.

  • Presidente das Indústrias de Madeira diz que fogos estão a afetar o setor
    0:39

    País

    A Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário desvaloriza que os industriais do setor possam comprar madeira mais barata, em resultado dos incêndios florestais. Em entrevista na SIC Notícias, o presidente da associação, Vítor Poças, considera que os fogos estão a prejudicar gravemente a indústria.