sicnot

Perfil

Cultura

Nova versão de "A canção de Lisboa" chega hoje às salas de cinema

"A canção de Lisboa", comédia de enganos de Pedro Varela, com produção de Leonel Vieira, inspirada no filme homónimo dos anos 1930, estreia-se hoje, nos cinemas portugueses.

Facebook

Com argumento de Pedro Varela, sobre original de Cottinelli Telmo, "A canção de Lisboa" é o terceiro e último filme da trilogia composta por "O pátio das cantigas" e "O leão da Estrela", de homenagem à comédia que se fazia no cinema português há mais de meio século, produzida por Leonel Vieira, que também dirigiu as duas primeiras longa-metragens.

"A canção de Lisboa" segue a estrutura, personagens e enredo do filme homónimo, de Cottinelli Telmo, de 1933, com Vasco Santana, Beatriz Costa e António Silva, centrado no estudante de medicina Vasco Leitão, que vive da mesada das tias ricas de Trás-os-Montes, mas que se redime, no final.

No elenco estão César Mourão, Miguel Guilherme, Luana Martau, Marcus Majella, Maria Vieira, São José Lapa, Carla Vasconcelos, Dinarte de Freitas, Dmitry Bogomolov e Ruy de Carvalho.

Alguns destes atores já tinham participado nos dois filmes de Leonel Vieira.

Pedro Varela, que dirigiu esta versão de "A canção de Lisboa", realizou igualmente a série "Os Filhos do Rock", para televisão, assim como os dramas e mini-séries "Tempo Final", "Hora Marcada", "Vida dupla", as curtas-metragens "Anestesia" e "Toti", e o vídeo "We Stay Up All Night", dos Buraka Som Sistema, entre outras obras.

Lusa

  • MIT quer humanos a ajudar máquinas a decidir (quem morre)

    Mundo

    A "Máquina Moral" é uma plataforma online que recolhe a perspetiva humana em decisões que terão de ser tomadas por uma máquina. Por exemplo, quando um carro sem condutor se depara com o dilema do mal menor: em quem acertar - para evitar outros - num acidente de viação.

  • Daesh transforma drones em bombardeiros 

    Daesh

    As estratégias de combate do Daesh têm vindo a sofrer alterações, bem como a capacidade das forças militares iraquianas para confrontar e derrotar o inimigo. De acordo com o responsável do Exército dos EUA Brett Sylvia, comandante militar no Iraque, a tática mais recente desenvolvida pelo Daesh consiste em usar drones de uso comercial em pequenos bombardeiros, capazes de transportar e lançar granadas.