sicnot

Perfil

Cultura

Mouraria expõe objetos do quotidiano encontrados após o terramoto de 1755

O Centro de Inovação da Mouraria, em Lisboa, vai receber uma exposição de "objetos do quotidiano" antigos, descobertos após as obras de reconversão do Quarteirão dos Lagares, na mesma zona da cidade.

1763 - É ordenada a demolição de todas as barracas destinadas a habitação e serviços, construídas em Lisboa depois do Terramoto de 1755.

1763 - É ordenada a demolição de todas as barracas destinadas a habitação e serviços, construídas em Lisboa depois do Terramoto de 1755.

A exposição "Quarteirão dos Lagares: da Mouraria à Vila Nova" fará também o "enquadramento histórico e urbanístico do espaço, com especial enfoque na génese e desenvolvimento deste carismático bairro lisboeta", refere a Câmara Municipal de Lisboa em comunicado hoje divulgado.

Organizada pelo Centro de Arquitetura de Lisboa (CAL), estará disponível para visita de segunda a sexta-feira, entre as 10:00 e as 17:00, até dia 01 de outubro.

"Entre ruínas e aterros que se sobrepõem, as escavações arqueológicas permitiram recuperar objetos do quotidiano que testemunham vivências sociais e económicas de outros tempos, contribuindo para a 'reconstrução' da história deste local e do bairro da Mouraria e dos seus habitantes desde a Idade Média até ao presente", considera a organização.

Na brochura que acompanha a exposição lê-se que "nas escavações arqueológicas do Quarteirão dos Lagares identificaram-se vestígios de atividade oleira do século XV e da primeira metade do século XVI, sobretudo um forno de cozer barro, preservado sob o pavimento do edifício atual".

O documento acrescenta que nos aterros que cobriam o quarteirão "recuperaram-se trempes, usadas para apoiar as peças no forno, resíduos de vidrado, carvões, bem como uma série de objetos defeituosos, rejeitados pela mão experiente do oleiro", e as "escavações arqueológicas, ainda que parciais, levaram à descoberta de duas fontes, calçadas, um tanque, canalizações e canteiros".

Os objetos foram descobertos aquando das obras para a criação do Centro de Inovação da Mouraria (CIM), tendo sido levadas a cabo quatro campanhas arqueológicas entre 1999 e 2013.

"O Quarteirão dos Lagares é um bom exemplo da dinâmica urbanística de uma cidade em plena renovação", refere o departamento de cultura do município, acrescentando que "todo este conjunto foi aterrado após o terramoto de 1755".

Depois do terramoto, esta zona "adquiriu uma função habitacional, além da vocação agrícola proporcionada pela proximidade do vale de Arroios, servindo como lagar de azeite ou de vinho", explica.

"Esta exposição resulta da colaboração entre o CAL e o CIM, a que se juntaram a Direção-Geral do Património Cultural, o Centro de História d'Aquém e d'Além Mar (CHAM)/Faculdade de Ciências Sociais e Humanas e a empresa ERA, Arqueologia", remata a nota.

Lusa

  • Temperatura global de 2016 foi a mais alta desde 1880

    Mundo

    A temperatura média na superfície terrestre e oceânica em 2016 foi a mais alta desde 1880, no terceiro ano consecutivo de recordes do aquecimento global, anunciou esta quarta-feira a agência dos Estados Unidos para a atmosfera e os oceanos.

  • CIA desvenda segredos de quase 50 anos de História

    Mundo

    A CIA publicou online quase 12 milhões de documentos confidenciais. Basta uma ligação à Internet para navegar por entre 50 anos de relatórios outrora secretos. Entre os milhões de páginas, estão documentos sobre um eventual assassínio de Fidel Castro, detalhes sobre os crimes de guerra nazis, relatórios sobre avistamentos de OVNI e um estudo sobre telepatia denominado "Projeto Star Gate".

  • Cadela sobrevive após engolir faca de cozinha

    Mundo

    Na Escócia, uma história de sobrevivência, no mínimo, bicuda. Uma cadela engoliu uma faca de cozinha com mais de 20 centímetros, manteve-a dentro de si durante algumas semanas mas sobreviveu, depois de ser operada de urgência..