sicnot

Perfil

Cultura

Mais de 73 mil pessoas na exposição de Amadeo de Souza Cardoso em Paris

Mais de 73 mil pessoas visitaram a exposição, com obras do artista português Amadeo de Souza Cardoso (1887-1918), inaugurada em abril, no Grand Palais, em Paris, e que encerrou na segunda-feira.

Contactada pela agência Lusa, fonte do gabinete de imprensa da Réunion des Musées Nationaux - Grand Palais, um dos maiores complexos expositivos da capital francesa, revelou que, de 30 de abril a 18 de julho, a mostra de Amadeo atraiu um total de 73.337 visitantes.

De acordo com a mesma fonte, uma média diária de 949 pessoas viu a exposição, que ocupou mil metros quadrados, reunindo cerca de 300 obras em pintura, desenho, gravura e fotografia, no Grand Palais.

"Foi uma oportunidade para fazer uma verdadeira descoberta de um artista pouco conhecido do público francês. A taxa de satisfação dos visitantes foi particularmente elevada: 96% disseram estar satisfeitos e 44% indicaram que ultrapassou as expectativas", indica o gabinete de imprensa do Grand Plais, em resposta à agência Lusa.

O complexo expositivo Grand Palais recebeu 1,7 milhões de visitantes no ano passado, e 1,8 milhões em 2014.

Organizada pela Réunion des Musées Nationaux et du Grand Palais des Champs-Élysées, e a Fundação Calouste Gulbenkian, que detém grande parte do acervo do artista nascido em Amarante, a mostra apresentou, além das 250 obras assinadas por Amadeo, 52 documentos de arquivo e 15 obras de artistas que foram próximos de Amadeo de Souza Cardoso, como Modigliani, o casal Robert e Sonia Delaunay e Constantin Brancusi.

A exposição comissariada por Helena de Freitas, curadora da Gulbenkian, teve como objetivo dar a conhecer a obra de um artista que teve uma vida curta e intensa, tendo falecido com apenas 30 anos, em 1918, de gripe pneumónica.

Embora tenha morrido jovem, Amadeo viveu em Paris, de 1906 a 1914, onde teve contactos com os modernistas, e chegou a exibir e a vender o seu trabalho na capital francesa, nos Estados Unidos, na Alemanha e na Áustria.

Construído para receber a Grande Exposição de 1900, em Paris, o edifício que alberga o complexo expositivo Grand Palais está localizado junto aos Champs-Élysées, no centro da capital francesa.

Lusa

  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser "derrotada como todos os outros"

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • António Guterres, "o governante mais amado desde sempre em democracia"
    2:27

    País

    António Guterres foi distinguido com o grau de honoris causa pela Universidade de Lisboa. A cerimónia decorreu esta manhã e contou com a presença do Presidente da República e do primeiro-ministro. Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou que Guterres foi o governante mais amado da democracia portuguesa.