sicnot

Perfil

Cultura

Mais de 73 mil pessoas na exposição de Amadeo de Souza Cardoso em Paris

Mais de 73 mil pessoas visitaram a exposição, com obras do artista português Amadeo de Souza Cardoso (1887-1918), inaugurada em abril, no Grand Palais, em Paris, e que encerrou na segunda-feira.

Contactada pela agência Lusa, fonte do gabinete de imprensa da Réunion des Musées Nationaux - Grand Palais, um dos maiores complexos expositivos da capital francesa, revelou que, de 30 de abril a 18 de julho, a mostra de Amadeo atraiu um total de 73.337 visitantes.

De acordo com a mesma fonte, uma média diária de 949 pessoas viu a exposição, que ocupou mil metros quadrados, reunindo cerca de 300 obras em pintura, desenho, gravura e fotografia, no Grand Palais.

"Foi uma oportunidade para fazer uma verdadeira descoberta de um artista pouco conhecido do público francês. A taxa de satisfação dos visitantes foi particularmente elevada: 96% disseram estar satisfeitos e 44% indicaram que ultrapassou as expectativas", indica o gabinete de imprensa do Grand Plais, em resposta à agência Lusa.

O complexo expositivo Grand Palais recebeu 1,7 milhões de visitantes no ano passado, e 1,8 milhões em 2014.

Organizada pela Réunion des Musées Nationaux et du Grand Palais des Champs-Élysées, e a Fundação Calouste Gulbenkian, que detém grande parte do acervo do artista nascido em Amarante, a mostra apresentou, além das 250 obras assinadas por Amadeo, 52 documentos de arquivo e 15 obras de artistas que foram próximos de Amadeo de Souza Cardoso, como Modigliani, o casal Robert e Sonia Delaunay e Constantin Brancusi.

A exposição comissariada por Helena de Freitas, curadora da Gulbenkian, teve como objetivo dar a conhecer a obra de um artista que teve uma vida curta e intensa, tendo falecido com apenas 30 anos, em 1918, de gripe pneumónica.

Embora tenha morrido jovem, Amadeo viveu em Paris, de 1906 a 1914, onde teve contactos com os modernistas, e chegou a exibir e a vender o seu trabalho na capital francesa, nos Estados Unidos, na Alemanha e na Áustria.

Construído para receber a Grande Exposição de 1900, em Paris, o edifício que alberga o complexo expositivo Grand Palais está localizado junto aos Champs-Élysées, no centro da capital francesa.

Lusa

  • Atacantes de Barcelona "não estão a caminho da nossa fronteira"
    7:00

    Ataque em Barcelona

    O diretor da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária esteve esta sexta-feira no Jornal da Noite para falar sobre o duplo atentado em Espanha. Luís Neves diz que o nível de ameaça em Portugal, perante os ataques, não foi alterado porque "não se detectou que tenha existido informação que possa colocar o nosso território em perigo".