sicnot

Perfil

Cultura

"Maria do Mar" conquista dois prémios no Festival Ibérico de Cinema

osomeafuria.com

A curta-metragem portuguesa "Maria do Mar", do realizador João Rosas, conquistou dois prémios na edição deste ano do Festival Ibérico de Cinema de Badajoz, Espanha, que terminou no domingo, foi hoje divulgado.

Segundo os promotores do festival, considerado "um dos mais importantes da Península Ibérica no âmbito das curtas-metragens", o filme, que "relata o fascínio de Nicolau, um jovem de 14 anos, pela bela e reservada Maria do Mar", conquistou os prémios Cexeci do Júri Jovem e AEC para a Melhor Fotografia.

"Maria do Mar" competiu com outras 20 curtas-metragens, nomeadamente três portuguesas ("Os barcos", de Dominga Sotomayor, "Vigil", de Rita Cruchinho, e "Yulya", de André Marques), as quais foram selecionadas de um conjunto de 500 apresentadas ao festival deste ano.

A curta-metragem "Classmate", do diretor espanhol Javier Marco Rico e da guionista espanhola Belén Sánchez-Arévalo e gravada na íntegra em inglês, ganhou o primeiro prémio de Melhor Curta-metragem e o Prémio ao Melhor Argumento.

O segundo prémio de Melhor Curta-metragem foi para o thriller de ficção científica "El pescador", de Alejandro Suárez, que conquistou também os prémios de Melhor Diretor e de Melhor Música Original.

Patricia Arbues ganhou o prémio de Melhor Atriz, pelo seu desempenho na curta-metragem "La invitación", da realizadora espanhola Susana Casares.

O prémio de Melhor Ator foi para Alex Brendemühl, o protagonista da curta-metragem "No estamos aquí para que nos toquen los huevos", de Kike Barberá, que conquistou o Prémio do Público de Badajoz.

"La regla del subjuntivo", "obra-prima" da diretora de Badajoz Leticia Torres, ganhou o Prémio Filmoteca de Extremadura para a Melhor Curta Extremenha.

O Festival Ibérico de Cinema deste ano, que arrancou na passada quarta-feira e terminou no domingo, na cidade espanhola de Badajoz, contou, pela primeira vez, com duas extensões nas localidades espanholas de Olivença e de Villanueva del Fresno.

As curtas-metragens "Los Ángeles 1991", de Zacarías & MacGregor, e "Adila", de Rubén Llama e Alejandro Manzano, receberam, respetivamente, os prémios dos públicos de Olivença e de Villanueva del Fresno.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.