sicnot

Perfil

Cultura

Pink Floyd vão lançar musicas inéditas do início da carreira

​A banda britânica Pink Floyd vai lançar várias músicas inéditas como parte de uma caixa (box) que irá explorar o início do lendário grupo de rock, anunciou a sua editora discográfica, a Sony Legacy Records.

"The Early Years - 1965-1972", uma caixa que será colocada à venda a 11 de novembro, incluirá pelo menos 27 CD que incluem músicas que não foram utilizadas, além de espetáculos dos Pink Floyd, informou a editora na quinta-feira.

Das canções que estão na 'box', cerca de 20 nunca haviam sido divulgadas.

Entretanto, algumas outras não são desconhecidas para os fãs, já que o grupo tocava às vezes trechos originais pouco conhecidos durante seus espetáculos.

Entre os títulos inéditos está "Vegetable Man", escrita em 1967 pelo membro fundador Syd Barrett, que deixou o grupo pouco depois devido a uma doença mental.

A canção nunca foi lançada oficialmente, ainda que pudesse ser encontrada em registos não oficiais.

Segundo o agente dos Pink Floyd, Peter Jenner, o baixista do grupo, Roger Waters, não queria lançar esta canção, já que a considerava muito sombria e incompleta. Waters também abandonou o grupo em 1985, jurando que não queria ter nada a ver com os Pink Floyd.

A banda liderada por David Gilmour lançou em 2014 o que seria o seu último álbum, "The Endless River".

A caixa, que também irá conter sete livros, dos quais seis serão vendidos separadamente em 2017, não cobre o período de maior sucesso do Pink Floyd.

O álbum "The Dark Side of the Moon", lançado em 1973 e em parte inspirado nos problemas mentais de Syd Barrett, continua a ser um dos mais vendidos de todos os tempos com 45 milhões de cópias.

O álbum "The Wall", lançado em 1979, também aparece em listas que indicam os melhores trabalhos musicais de todos os tempos.

Lusa

  • Explosão próximo do aeroporto de Damasco

    Mundo

    A televisão do movimento xiita libanês Hezbollah, aliado do regime sírio, noticiou hoje que a explosão ocorrida esta madrugada perto do aeroporto de Damasco "foi provavelmente" resultado de um ataque israelita contra depósitos de combustível.

    Em atualização

  • Será que lavar em lavandarias self-service compensa?
    8:21
  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Macron e Le Pen em troca de acusações
    2:16

    Eleições França 2017

    A campanha eleitoral para a segunda volta em França ficou esta quarta-feira marcada por uma troca de acusações entre os dois candidatos. De visita a uma fábrica em risco de encerramento, Le Pen prometeu que se for eleita salvará os 300 postos de trabalho. Emmanuel Macron acusou a candidata da extrema-direita de aproveitamento político.

  • Os filhos do divórcio
    20:50
  • Carro que atropelou adepto encontrado na casa de um amigo do suspeito
    2:18

    Desporto

    O carro que terá atropelado o adepto italiano que morreu junto ao Estádio da Luz foi encontrado esta terça-feira, numa garagem na Amadora, na casa de um amigo do suspeito. Trata-se de um homem na casa dos 30 anos que pertence à claque No Name boys e é agora procurado pela Polícia Judiciária.

  • "Esta moda bizarra de não vacinar crianças tem tido estas consequências"
    1:43

    Surto de sarampo

    Há mais um caso de sarampo registado pela Direção-Geral da Saúde, no total já são 25. Francisco George garantiu que a situação não é preocupante para as crianças em idade escolar e recomendou uma discussão parlamentar sobre a vacinação. Mais de 11 mil pessoas já assinaram uma petição pública a defender a vacinação obrigatória. 

  • Web Summit inaugura primeiro escritório fora da Irlanda em Lisboa
    1:58

    Web Summit

    A Web Summit inaugurou em Lisboa o primeiro escritório fora da Irlanda, que vai dar emprego a 20 pessoas, algumas portuguesas. O próximo objectivo é alargar eventos a outros pontos do país. A conferência internacional regressa a Lisboa entre 6 e 9 de novembro e a organização espera ter 60 mil participantes.