sicnot

Perfil

Cultura

Flower Power Fest leva anos 60 e 70 ao litoral alentejano

Os Alphaville são cabeças-de-cartaz

O "espírito" dos anos 60 e 70 chega na quinta-feira a Vila Nova de Santo André, no litoral alentejano, com o Flower Power Fest, que propõe três dias de concertos, workshops e jogos tradicionais para toda a família.

As bandas Alphaville, Bad Manners e UHF são os cabeças de cartaz do festival, que decorre entre quinta-feira e sábado e conta também com concertos de Chaka & Primo, Johnny's Band, Dá Cá (tributo AC/DC), The Peakles (tributo Beatles), Funil & Abelhinha, Endless Floyd (tributo Pink Floyd) e Woodstock Tribute Band.

Além dos concertos, durante o dia, no recinto do Flower Power Fest, no Parque Central de Vila Nova Santo André, no concelho de Santiago do Cacém, distrito de Setúbal, que nesta edição passa a estar aberto gratuitamente até às 17h00, há workshops, exposições, feira de roupa e de artesanato, jogos tradicionais, yoga e dança.

"Este é um festival para toda a família e todo o recinto foi pensado para a família", disse hoje à agência Lusa Elsa Cavaco, que preside à Associação Lus'Alma, promotora da iniciativa.

É por isso que há atividades a pensar em todas as idades, como jogos tradicionais e workshops de construção de papagaios de papel, de massagens para bebés e crianças e de dança dos anos 60 e 70, além de zonas de lazer, como um parque de insufláveis e camas de rede espalhadas pelo recinto.

Uma concentração de veículos antigos da Volkswagen ("pães de forma" e "carochas", como são mais conhecidos), no âmbito do European VWShow, bem como de vespas e de lambretas, é uma das novidades da 3.ª edição do festival, que vai ainda contar com a presença de automóveis clássicos.

"Acabámos por abrir a participação a outro tipo de veículos, os automóveis clássicos, porque tivemos vários pedidos [de proprietários]", explicou a mesma responsável.

Ao público, Elsa Cavaco lança o desafio para, à semelhança de edições anteriores, se "vestir a rigor" com roupa "da época". No recinto estará disponível um cabeleireiro onde todos podem aproveitar para "compor o visual" com penteados alusivos aos anos 60 e 70 do século XX.

Com o galardão de "melhor novo festival em Portugal" e de "melhor pequeno festival na Península Ibérica" em 2015, atribuído pelos Iberian Music Awards, o Flower Power Fest propõe um certame para "pais, filhos, avós e netos".

Para os concertos, podem ser adquiridos bilhetes diários, a partir de 10 euros, ou passes para os três dias, a partir de 25 euros, bem como ingressos individuais ou familiares.

Lusa

  • Beja celebra a primavera com a Festa das Maias
    2:13

    País

    O centro histórico de Beja foi palco da Festa das Maias, uma tradição com mais de dois mil anos de história que pretende celebrar a Primavera. No evento, as crianças vestem-se de branco e oferecem flores a quem lhes dá uma moeda.

  • Festa da Flor na ilha de São Miguel
    2:13

    Cultura

    Um tapete com 12 mil flores e um cortejo com mais de mil pessoas marcam a Festa da Flor, que se realiza na Ribeira Grande, ilha de São Miguel, Açores. A SIC acompanhou esta celebração que assinala o início da primavera e falou com presidente da Câmara de Ribeira Grande, Alexandre Gaudêncio.

  • PSD está a "perder terreno" na escolha de candidato a Lisboa
    1:46

    País

    Quem o diz é Luís Marques Mendes: o PSD perde na demora da escolha de um candidato para a Câmara de Lisboa. O líder Passos Coelho rejeita apoiar a candidatura de Assunção Cristas e garante que o partido vai ter um candidato próprio. Segundo o comentador da SIC, o último convite foi dirigido a José Eduardo Moniz.

  • Motim em prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos
    1:09

    Mundo

    Um novo motim numa prisão brasileira fez pelo menos 30 mortos. A prisão, que é a maior do Estado do Rio Grande do Norte, tem capacidade para 600 reclusos mas acolhe quase o dobro. Após o motim de 14 horas, a polícia já tem o controlo total da prisão.

  • Aqui também se vive
    16:07
  • Austrália condena Japão por caça de baleias no Oceano Antártico

    Mundo

    O Governo da Austrália condenou hoje o Japão por retomar a caça de baleias no Oceano Antártico, após a divulgação de imagens de um cetáceo morto a bordo de um barco japonês que se encontrava em águas protegidas.O ministro do Ambiente, Josh Frydenberg, manifestou "profunda deceção", um dia depois de a organização Sea Shepherd divulgar fotografias e vídeos de uma baleia minke no barco japonês Nisshin Maru.