sicnot

Perfil

Cultura

Feira do Livro do Porto vai ter 17 novas editoras

A Feira do Livro do Porto, que este ano se realiza entre 2 e 18 de setembro, vai ter 17 novas presenças editoriais entre o total dos 131 pavilhões, mais um do que no ano passado.

Em comunicado, a Câmara Municipal do Porto anunciou hoje que "entre as novidades, encontra-se a Livraria Lello que vai estar representada pela primeira vez na iniciativa, desde que a Câmara do Porto assumiu, em 2014, a organização do evento", juntando-se também ao evento a Chiado Editora, a Ordem dos Arquitetos, o jornal Público e a editora espanhola Bubok.

Novamente a decorrer na avenida das Tílias, nos jardins do Palácio de Cristal, mas a abrir agora às 12:00 todos os dias, a Feira do Livro do Porto vai ter como tema "a Ligação" e incluir "69 editoras, 26 livrarias, 16 alfarrabistas, 12 instituições e oito distribuidoras, numa configuração muito semelhante à do ano passado".

"Relativamente aos últimos anos, os pavilhões apresentam algumas alterações, visíveis, sobretudo, na cobertura, já que o habitual telhado plano passa a ser substituído por um cone em lona branca, que permitirá um melhor escoamento da água em caso de eventual intempérie", referiu a autarquia sobre o evento que, no ano passado, chegou a ser encerrado devido ao mau tempo.

O evento vai incluir ainda uma homenagem ao escritor portuense Mário Cláudio, vencedor de múltiplos prémios ao longo da carreira enquanto autor publicado que se iniciou em 1969 com o livro de poemas "Ciclo de Cypris".

"Recorde-se que a Câmara do Porto assumiu a organização da Feira do Livro do Porto em 2014, transferindo-o para os jardins do Palácio de Cristal. No primeiro ano, a homenagem foi dirigida a Vasco Graça Moura (sob o tema 'Liberdade e Futuro') e, no ano passado, a Agustina Bessa-Luís (com a temática da 'Felicidade'), tendo recebido, em cada edição, mais de 200 mil visitantes", lembrou o comunicado da Câmara.

Lusa

  • Encerra hoje a Feira do Livro de Lisboa
    3:22

    Cultura

    A Feira do Livro de Lisboa chega hoje ao fim. Ao longo de 19 dias passaram pelo Parque Eduardo VII dezenas de escritores, numa edição com 277 pavilhões, um número recorde. O repórter Reinaldo Serrano deixa-lhe agora algumas sugestões para aproveitar os últimos descontos, na feira que encerra às 23:00.

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.