sicnot

Perfil

Cultura

Cerca de 32 mil pessoas assistiram ao festival Bons Sons na aldeia de Cem Soldos

Entre sexta e segunda-feira , cerca de 32 mil festivaleiros assistiram aos 50 concertos que assinalaram os dez anos do festival de música portuguesa Bons Sons, em Cem Soldos, localidade que se assume como a "aldeia cultura" do concelho de Tomar.

"Foram quatro dias, com 50 bandas a atraírem 32 mil visitantes com nomes sonantes do fado, da música tradicional, do rock, do post-rock, do country, do hip-hop, do indie, da vanguarda, do erudito contemporâneo, da eletrónica, do afro-beat ou do kitch", revelou hoje a organização, num balanço da edição comemorativa dos dez anos do Festival Bons Sons.

Pela aldeia - que, entre sexta-feira e o feriado do dia 15 de agosto, se transformou, toda ela, no recinto do festival - passaram 204 músicos que protagonizaram os cinquenta concertos realizados nos oito palcos de Cem Soldos.

O festival, marcado pelo forte cariz comunitário que envolve toda a população na sua organização, foi também cenário onde o próprio público teve oportunidade de mostrar os seus projetos, com "20 atuações espontâneas", no Palco Garagem (dedicados a bandas emergentes).

O evento, que movimentou, a par da população, 400 voluntários de vários pontos do país, atraiu ainda 105 jornalistas e representantes de meios de comunicação social que, ao longo de quatro dias, reportaram o ambiente da aldeia.

Um balanço "muito positivo" do festival que se orgulha de ser "um marco na paisagem musical e cultural do país" e que, como o seu mentor, o diretor artístico do Bons Sons, Luís Ferreira, disse à agência Lusa, "não quer crescer mais a nível de escala, mas apenas que se reinvente e cresça em qualidade e propostas".

Dez anos depois de iniciado o percurso que pôs Cem Soldos na rota dos festivaleiros, a aposta da organização é agora consolidar o território como "aldeia de cultura e aumentar os motivos para trazer pessoas a Cem Soldos, ao longo de todo o ano".

Para isso está já na forja o CaldelasFest, um "festival mais intimista", mas mais virado para "música do mundo", com o qual Cem Soldos quer atrair "outras aldeias, regiões e bairros que tenham projetos na área da música", que Luís Ferreira desafia a partilhar, tendo como cenário as ruínas romanas de Caldelas, a cerca de dois quilómetros da aldeia.

Este "microfestival" programado para arrancar "em moldes mais pequenos do que o Bons Sons, na primeira edição", em 2005, será apenas mais um exemplo de um conjunto de projetos sociais e culturais que Cem Soldos está a desenvolver, e para os quais são canalizados, "quando os há", os lucros do Bons Sons.

Entre eles destacam-se o "Lar Aldeia", um projeto de inovação social que visa recuperar algumas unidades habitacionais e integrar idosos no centro de Cem Soldos, mantendo a sua individualidade e privacidade, mas fornecendo-lhes serviços de apoio essenciais e estimulando o seu quotidiano.

Outro projeto, intitulado "CAAL -- Casa Aqui Ao Lado", passa pela recuperação de uma habitação anexa ao clube local (organizador do Bons Sons), para albergar "residências artísticas e aliviar custos de produção de outras atividades culturais como a Mostra de Teatro", explicou Luís Ferreira à Lusa.

O festival Bons Sons realizou-se pela primeira vez em 2006 e teve periodicidade bienal até 2015, quando a sua realização passou a ser anual.

Lusa

  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, fez 100 dias este sábado. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52