sicnot

Perfil

Cultura

Festa do Livro no Palácio de Belém decorre entre 1 e 4 de setembro

A "Festa do Livro de Belém", promovida pela Presidência da República e a associação de editores e livreiros, decorrerá no Palácio de Belém, em Lisboa, entre 1 e 4 de setembro, com a presença prevista de mais de 40 editoras.

As datas da "Festa do Livro de Belém" foram divulgadas através da página da rede social Facebook do Museu da Presidência da República, avançando também a presença de mais de 40 chancelas editoriais.

A realização desta festa foi anunciada pelo Presidente, Marcelo Rebelo de Sousa, que é bibliófilo e coleciona livros antigos desde a adolescência, na abertura da Feira do Livro de Lisboa, no final de maio.

"A Presidência da República e a APEL (Associação Portuguesa de Editores e Livreiros) decidiram abrir as portas do Palácio de Belém e criar a Festa do Livro, que irá decorrer no início de setembro", revelou na altura Marcelo Rebelo de Sousa, explicando que os visitantes poderão passear nos jardins, mas também "contactar com livros e comprar livros".

Lusa

  • Um homem de 83 anos é a 42.ª vítima dos incêndios
    1:27

    País

    Subiu para 42 o número de vítimas mortais nos incêndios deste domingo. Um homem de 83 anos foi encontrado sem vida em Lugar de Covelo, em Vouzela. O número de feridos mantém-se, 14 estão em estado grave. A maior parte das mortes aconteceu no distrito de Coimbra (20) e Viseu (19). Segundo a Proteção Civil, já não há desaparecidos. Sete pessoas estavam dadas como desaparecidas e apenas uma foi encontrada sem vida. Um bebé de poucos meses tinha sido dado como morto, mas foi encontrado com vida.

  • Um pedido de desculpas aos portugueses e um ultimato ao Governo
    3:21
  • Vouzela tenta regressar à normalidade, 8 pessoas morreram no concelho
    2:28

    País

    No concelho de Vouzela, a população começa a voltar à normalidade. Aos poucos a luz e a água estão a voltar e as pessoas começam a ganhar forças para reconstruir aquilo que lhes foi tirado pelos fogos. No entanto, as feridas demoram a sarar e não será fácil esquecer que 80 a 90 por cento deste concelho foi destruído pelos incêndios e oito pessoas morreram.

  • Material de guerra de Tancos encontrado, faltam munições
    1:40
  • "Se os bombeiros não chegam, os vizinhos vão ficar sem casa"
    1:03
  • Madrid admite suspender autonomia da Catalunha
    1:51
  • Alemanha já tem uma versão de Donald Trump... em cera
    1:08