sicnot

Perfil

Cultura

Maria João Pires candidata aos Prémios Gramophone

A pianista Maria João Pires, com a gravação do 3.º Concerto para piano e orquestra, de Beethoven, está entre os candidatos aos prémios anuais da revista britânica Gramophone, cujos vencedores são conhecidos hoje, no Reino Unido.

A pianista compete na categoria Melhor Gravação de Concerto, com o recital que realizou em 2012, no Festival Chopin, em Varsóvia, com a Orquestra do Século XVIII, sob a direção do maestro holandês Frans Brüggen.

Esta é a primeira gravação da pianista num piano de época, um Érard de 1849, e com uma orquestra com instrumentos de época - a Orquestra do Século XVIII, fundada por Frans Brüggen, que a dirige, um dos precursores da denominada corrente de interpretação historicamente informada, falecido em agosto de 2014.

A pianista Maria João Pires, de 72 anos, foi distinguida no ano passado com o Prémio Gramophone, na mesma categoria, pela gravação dos Concertos n.º 3 e n.º 4, para piano e orquestra de Beethoven, com a Orquestra Sinfónica da Rádio Sueca, sob direção do maestro britânico Daniel Harding.

Estes prémios são dirigidos à indústria discográfica de música clássica e são atribuídos anualmente pela revista britânica Gramophone, através da votação de membros da indústria e de um júri de críticos.

Ao todo, os prémios têm 12 categorias: Instrumental Barroco, Vocal Barroco, Música de Câmara, Coral, Concerto, Música Contemporânea, Música Emergente, Instrumental, Ópera, Orquestra, Recital e Voz Solista.

Na mesma categoria de Maria João Pires, concorrem a violinista Janine Jansen, com a Orquestra de Santa Cecília, sob a direção de Antonio Pappano, numa edição que reúne, pela primeira vez em disco, o Concerto n.º 1 para violino e orquestra, de Béla Bartók, e o Concerto para violino, de Johannes Brahms, e a violinista Vilde Frang, acompanhada pela Orquestra Sinfónica da Rádio Frankfurt, sob a direção de James Gaffigan, que gravou os Concertos para Violino, de Benjamin Britten e de Erich Korngold.

São ainda candidatos o violinista Christian Tetzlaff, que gravou o Concerto para Violino e "Romance", de Dvorák, e "Fantasia", de Josef Suk, com a Orquestra Sinfónica de Helsínquia, sob a direção de John Storgards, o violetista Maxim Rysanov, com a Rapsódia-Concerto, e outras peças de Bohuslav Martinu, a Sinfónica da BBC e o maestro Jiri Belohlávek, e também o pianista Daniil Trifonov, que gravou "Variações", de Rachamaninov, com a Filarmónica de Filadélfia, sob a batuta de Yannick Nezet-Séguin.

A entrega dos Prémios realiza-se em Londres, a 15 de setembro, altura em que serão conhecidos os Prémios Gramophone Carreira, Artista e Jovem Artista do Ano, Etiqueta Discográfica do Ano e o prémio de Gravação do Ano.

Lusa

  • Prisão preventiva para homicida de Barcelos
    1:43

    País

    O alegado homicida de Barcelos vai ficar em prisão preventiva, por quatro crimes de homicídio. Adelino Briote foi ouvido este sábado de manhã no Tribunal de Braga, depois de na sexta-feira ter alegadamente degolado quatro pessoas na freguesia de Tamel, em Barcelos.

  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Milhares nas cerimónias fúnebres de dirigente do Hamas

    Mundo

    Milhares de palestinianos participaram nas cerimónias fúnebres de um dirigente do Hamas, assassinado esta sexta-feira, na Faixa de Gaza. Vários homens armados acompanharam o cortejo fúnebre até à mesquita, onde se fizeram as últimas orações.