sicnot

Perfil

Cultura

Maria João Pires candidata aos Prémios Gramophone

A pianista Maria João Pires, com a gravação do 3.º Concerto para piano e orquestra, de Beethoven, está entre os candidatos aos prémios anuais da revista britânica Gramophone, cujos vencedores são conhecidos hoje, no Reino Unido.

A pianista compete na categoria Melhor Gravação de Concerto, com o recital que realizou em 2012, no Festival Chopin, em Varsóvia, com a Orquestra do Século XVIII, sob a direção do maestro holandês Frans Brüggen.

Esta é a primeira gravação da pianista num piano de época, um Érard de 1849, e com uma orquestra com instrumentos de época - a Orquestra do Século XVIII, fundada por Frans Brüggen, que a dirige, um dos precursores da denominada corrente de interpretação historicamente informada, falecido em agosto de 2014.

A pianista Maria João Pires, de 72 anos, foi distinguida no ano passado com o Prémio Gramophone, na mesma categoria, pela gravação dos Concertos n.º 3 e n.º 4, para piano e orquestra de Beethoven, com a Orquestra Sinfónica da Rádio Sueca, sob direção do maestro britânico Daniel Harding.

Estes prémios são dirigidos à indústria discográfica de música clássica e são atribuídos anualmente pela revista britânica Gramophone, através da votação de membros da indústria e de um júri de críticos.

Ao todo, os prémios têm 12 categorias: Instrumental Barroco, Vocal Barroco, Música de Câmara, Coral, Concerto, Música Contemporânea, Música Emergente, Instrumental, Ópera, Orquestra, Recital e Voz Solista.

Na mesma categoria de Maria João Pires, concorrem a violinista Janine Jansen, com a Orquestra de Santa Cecília, sob a direção de Antonio Pappano, numa edição que reúne, pela primeira vez em disco, o Concerto n.º 1 para violino e orquestra, de Béla Bartók, e o Concerto para violino, de Johannes Brahms, e a violinista Vilde Frang, acompanhada pela Orquestra Sinfónica da Rádio Frankfurt, sob a direção de James Gaffigan, que gravou os Concertos para Violino, de Benjamin Britten e de Erich Korngold.

São ainda candidatos o violinista Christian Tetzlaff, que gravou o Concerto para Violino e "Romance", de Dvorák, e "Fantasia", de Josef Suk, com a Orquestra Sinfónica de Helsínquia, sob a direção de John Storgards, o violetista Maxim Rysanov, com a Rapsódia-Concerto, e outras peças de Bohuslav Martinu, a Sinfónica da BBC e o maestro Jiri Belohlávek, e também o pianista Daniil Trifonov, que gravou "Variações", de Rachamaninov, com a Filarmónica de Filadélfia, sob a batuta de Yannick Nezet-Séguin.

A entrega dos Prémios realiza-se em Londres, a 15 de setembro, altura em que serão conhecidos os Prémios Gramophone Carreira, Artista e Jovem Artista do Ano, Etiqueta Discográfica do Ano e o prémio de Gravação do Ano.

Lusa

  • Assembleia-geral do Sporting marcada para 23 de junho
    2:57
  • Congresso do PS começa hoje na Batalha

    País

    O 22.º Congresso do PS começa hoje, na Batalha, distrito de Leiria, e durante o qual o secretário-geral, António Costa, deverá defender uma linha de continuidade estratégica, procurando, em simultâneo, projetar desafios estruturais que se colocam ao país.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • Juiz impede acesso a informações bancárias e e-mails de António Mexia
    1:50

    País

    No inquérito crime que investiga a EDP, continua um braço de ferro entre o Ministério Público e o juiz de instrução. O magistrado voltou a negar o acesso a informações bancárias e a e-mails de António Mexia, que constavam dos processos da Operação Marquês e do universo Espírito Santo.

  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC