sicnot

Perfil

Cultura

Festival de Vilar de Mouros recebeu 22 mil pessoas em três dias

Cerca de 22 mil pessoas passaram entre quinta-feira e sábado na edição 2016 do festival de música de Vilar de Mouros, Caminha, sendo que no último dia a lotação "esgotou" com 12 mil espetadores, revelou a organização.

"Estamos a falar de um número total na ordem das 22 mil espectadores nos três dias e hoje (sábado) tivemos lotação esgotada com cerca de 12 mil pessoas", adiantou Diogo Marques.

O responsável adiantou que apesar de, no sábado, "haver muita gente a querer entrar" no sábado a organização decidiu fechar as bilheteiras para garantir "comodidade" aos 12 mil espectadores que se encontrava no recinto.

A edição 2016, que decorreu entre 25 e 27 de agosto com um cartaz marcado por nomes que se celebrizaram nas décadas de 1970 e 1980, foi organizado pela empresa Surprise and Expectation, criada em Caminha, um consórcio constituído pela Probability Makers e pela Metrónomo.

O responsável da organização do primeiro festival da Península Ibérica adiantou realçou que face à afluência de público houve necessidade de "aumentar em 45 mil metros as zonas de estacionamento, bem como a área de campismo".

"Tivemos que crescer para poder receber as pessoas. É muito positivo", afirmou Diogo Marques acrescendo que a edição deste ano é "uma aposta ganha".

"Conseguimos fazer renascer Vilar de Mouros. Conseguimos que todos os tabus sobre edições anteriores desaparecessem. Estamos aqui, pelo menos por mais seis anos que é o prazo de vigência do protocolo assinado com a Câmara Municipal de Caminha", sustentou.

Diogo Marques revelou que em 2017 a organização do "Woodstock" português vai fazer "subir a fasquia".

"Já temos vários nomes em carteira. Já estamos a trabalhar desde finais de julho na próxima edição. Os nomes serão anunciados mais para o final do ano. Vamos ter pré-venda de bilhetes no Natal e que tudo está a caminhar para termos, em 2017, um grande, grande, grande festival", frisou,

O presidente da Câmara de Caminha, Miguel Alves referiu que a edição do "renascimento" de Vilar de Mouros "ficou acima das expectativas".

"Superou nossas expectativas e dá-nos força para continuar. Hoje sou um homem feliz", afirmou o autarca socialista que lembrou "a luta muito grande" que encetou "para fazer o festival ressurgir das cinzas".

"Foi difícil. Tivemos que romper com receio pelo facto de, na última década, o festival ter estado adormecido e castigado por más opções estratégicas e políticas mas o festival ressurgiu em força e hoje é um dia extraordinário", sustentou.

O festival de Vilar de Mouros termina hoje, com mais um dia de cartaz repartido entre três artistas portugueses e três estrangeiros, abrindo com Samuel Úria e fechando com Blasted Mechanism.

Pelo palco principal montado junto às margens do rio Coura passaram ainda Bombino, Tiago Bettencourt, os Waterboys. Às 00:30 de domingo atuam os britânicos Tindersticks.

Esta edição do renovado festival de Vilar de Mouros termina com o concerto dos portugueses Blasted Mechanism, a partir das 02:00 de domingo.

Lusa

  • Não há risco de colapso do viaduto de Alcântara
    1:35

    País

    O desvio de um pilar do viaduto de Alcântara obrigou esta quarta-feira ao corte do trânsito e da circulação de comboios da linha de Cascais. O estrago terá sido provocado por um camião que embateu na estrutura. A circulação ferroviária foi retomada a meio da manhã, mas o viaduto só será reaberto esta quinta-feira.

  • Suspeito de homicídio à porta do Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em preventiva
    1:36

    País

    O suspeito de ser o autor dos disparos que mataram um jovem junto à discoteca Luanda foi ouvido em tribunal e ficou em prisão preventiva. Segundo a investigação, tudo terá começado com um mero desacato, ainda dentro da discoteca, onde a vítima e o detido foram filmados a discutir. O homem de 23 anos está indiciado por dois crimes de homicídio, um na forma tentada.

  • Romeu e Julieta nasceram no mesmo dia e no mesmo hospital

    Mundo

    Na Carolina do Sul, nos EUA, dois bebés tinham o parto marcado para 26 de março mas decidiram nascer mais cedo: exatamente no mesmo dia, apenas com uma diferença de 18 horas. Os pais não se conheciam e, curiosamente, deram o nome aos recém nascidos de Romeo e Juliet (em português, Romeu e Julieta).

  • Gelo nos polos recua para recordes mínimos

    Mundo

    A extensão de gelo polar dos oceanos Ártico e Antártico atingiu recordes mínimos a 13 de fevereiro, perdendo o equivalente a uma área maior do que o México, informou esta quarta-feira a agência espacial norte-americana NASA.

  • Túmulo de Jesus Cristo restaurado

    Mundo

    Após 10 meses de obras de restauro, o túmulo onde Jesus Cristo terá sido sepultado foi esta quarta-feira revelado numa cerimónia na igreja do Santo Sepulcro, em Jerusalém.