sicnot

Perfil

Cultura

Coreógrafo espanhol reinventa flamenco no palco do CCB

Reuters

O coreógrafo e bailarino espanhol Israel Galván vai interpretar o espetáculo de flamenco "FLA.CO.MEN", criado sob um conceito de concerto/performance, a 8 e 9 de setembro, no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa.

Estreado a 14 de setembro de 2014 na XVIII Bienal de Flamenco de Sevilha, "FLA.CO.MEN" vai ser apresentado nos dois dias às 21h00, no grande auditório do CCB, de acordo com a programação.

Israel Galván será também o intérprete desta criação da sua autoria, acompanhado pelos músicos David Lagos, Tomás de Perrate, Eloísa Cantón, Caracafé, e Juan Jiménez Alba e Antonio Moreno do Proyecto Lorca.

Considerada uma das atuais figuras inovadoras do flamenco, o coreógrafo e bailarino nascido em Sevilha tem vindo a incorporar nas suas criações de flamenco várias influências, desde os seus contemporâneos da dança, aos mestres e à tradição.

O seu trabalho assenta numa filosofia de fusão do flamenco tradicional com sons multiculturais, nomeadamente os tambores africanos, os ritmos cubanos, as melodias antigas e contemporâneas.

Foi galardoado, entre outros, com o National Dance Award for Exceptional Artistry (Reino Unido), o Grand Prix Danse 2009-2010 (França), e condecorado este ano Oficial da Ordem das Artes e das Letras pelo Ministério da Cultura francês.

O espetáculo que irá ao CCB integra ainda as peças "Sevillanas", com coreografia de Pedro G. Romero, e "Alegrías", de Patricia Caballero.

Lusa

  • Cinco mortos provocados pelo tufão Hato em Macau
    1:13
  • Prestação da casa aumenta pela primeira vez desde 2014
    1:17

    Economia

    Pela primeira vez em três anos, as taxas de juro do crédito à habitação, estão a subir. A subida é de apenas 1 euro, mas é a primeira desde 2014, depois de em maio deste ano ter estabilizado e em junho ter descido. A justificação para este aumento é a evolução das taxas euribor.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.