sicnot

Perfil

Cultura

Freddie Mercury, o asteróide que viaja a 500 milhões de quilómetros da Terra

MARCO ARNDT

As celebrações do 70.º aniversário de Freddie Mercury tomaram uma nova proporção: um asteroide que viaja a mais de 500 milhões de quilómetros da Terra vai ter o nome da lenda dos Queen. A notícia foi dada pelo guitarrista da banda, Brian May, através de uma mensagem de vídeo mostrada na festa "Freddie for a Day", na Suíça.

No dia em a lenda celebraria 70 anos, o Centro Minor Planet nomeou o asteroide descoberto em 1991 - ano em que Freddie Mercury morreu - como "Asteroid 17473 Freddiemercury".

Com um PhD em Astrofísica, May disse ainda que o asteroide é "apenas um ponto de luz, mas um ponto de luz muito especial e talvez um dia cheguemos lá".

Freddie Mercury nasceu a 5 de setembro de 1946, escreveu músicas como "Bohemian Rhapsody" e "We Are The Champions", assim como as apresentou com a sua banda, Queen.

A recente nomeação junta-se a uma lista muito longa. Existe o asteroide Kurt Vonnegut, o Frank Zappa, o David Bowie e o Bruce Springsteen, entre muitos outros. Mas nem só as pessoas reais tiveram esta oportunidade: também os personagens Don Quixote, James Bond, Sherlock Holmes e Dr Watson têm um asteroide com o seu nome.

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • Câmara de Lisboa reorganiza rede municipal de teatros
    2:52

    Cultura

    É uma pequena revolução na rede de teatros municipais em Lisboa. A Câmara, através da EGEAC, vai assumir a gestão do antigo teatro onde funcionou a Cornucópia, e que fechou há exatamente um ano. A autarquia de Lisboa vai ainda concessionar a gestão do Teatro Maria Matos, e abrir uma nova sala, para teatro infantil, em Belém. A informação foi avançada à SIC pela vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Lisboa, Catarina Vaz Pinto.

    Notícia SIC

  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC