sicnot

Perfil

Cultura

Mariza em digressão pelos EUA e Canadá

O mais recente álbum de Mariza, "Mundo", é lançado esta sexta-feira nos Estados Unidos, pela discográfica Nonesuch, antecipando a digressão de 12 concertos da fadista nos EUA e Canadá que acontecem em outubro e novembro.

"Na Nonesuch somos grandes fãs da Mariza há anos. Fizemos tudo o que podíamos para promover a sua música enquanto esteve com a EMI e, quando tivemos oportunidade de trabalhar com ela, agarrámo-la", disse o presidente da discográfica, Bob Hurwitz, em comunicado.

A edição nos EUA surge após um interregno de cinco anos, datando de 2010, o último disco da fadista lançado no país, "Fado tradicional".

"Mundo", que inclui, entre outros, os temas "Paixão", "Melhor de Mim" e "Alma", foi editado em Portugal a 09 de outubro do ano passado e foi eleito o melhor álbum do ano, pela revista de música britânica "Songlines".

Na ocasião, em declarações à Lusa, Mariza afirmou que "Mundo" é "um convite" para o público conhecer melhor o seu universo, o seu mundo, aquilo que é, e como evoluiu e se transformou.

"Este CD surge como um convite às pessoas para visitarem o meu mundo, no que me tornei agora, passados 15 anos do primeiro CD, até este álbum, o que sou, naquilo que me transformei, como eu vejo agora a música, aquilo que sinto e o que é para mim", rematou a fadista.

Em outubro e novembro, Mariza fará uma digressão de 12 concertos, nos Estados Unidos e Canadá.

Mariza abre a digressão a 14 de outubro, no Berklee Performance Center, em Boston, seguindo para Nova Iorque, onde, no dia 15, atua no The Town Hall, e, no dia seguinte, no New Jersey Performing Arts Center, em Newark.

No dia 20 de outubro, a criadora de "Cavaleiro monge" sobe ao palco do Fine Arts Center, da Universidade de Massachusetts, em Amherst. A 22, está no Zeiterion Theatre, em New Bedford, e no dia seguinte atua no Quick Center for the Arts, na Universidade de Fairfield, na Califórnia.

Entre 27 a 30 de outubro, atua no San Francisco Jazz Center, em São Francisco, partindo depois para o estado de Washington, onde atua na cidade de Seattle a 1 de novembro.

A fadista encerra a sua digressão em Vancouver, no Canadá, no Chan Centre for the Performing Arts, em Vancouver, no dia 02 de novembro.

De volta a Portugal, Mariza regressa aos Coliseus de Lisboa e Porto, para dois espetáculos especiais, intitulados de "Mundo 360", que se realizam a 9 de novembro, no Coliseu do Porto, e a 11 de novembro, no Coliseu de Lisboa.

Lusa

  • A história de João Ricardo
    10:37
  • Parceiros sociais começam hoje debate sobre salário mínimo

    Economia

    Os parceiros sociais reúnem-se hoje com o ministro do Trabalho, Vieira da Silva, para iniciarem a discussão sobre a atualização do salário mínimo para o próximo ano, com as centrais sindicais e confederações patronais a assumirem posições divergentes.Em cima da mesa estarão as propostas das centrais sindicais, com a CGTP a exigir 600 euros a partir de janeiro de 2018 e a UGT a reivindicar 585 euros como ponto de partida para a negociação.

  • Os 72 golos de mais uma noite de Liga Europa

    Liga Europa

    Os 16 avos-de-final da Liga Europa começam a ganhar forma. São já 16 as equipas apuradas para a próxima fase da competição, entre elas o Sporting de Braga, que somou mais uma vitória. Em sentido inverso, o Vitória de Guimarães saiu derrotado de Salzburgo e ficou mais longe da qualificação. A 5.ª jornada da fase de grupos jogou-se esta quinta-feira e ao todo marcaram-se 72 golos. Estão todos aqui, para ver ou rever.

  • "No fim, logo se vê" se foram quatro anos de uma legislatura perdida
    1:28

    País

    Pedro Passos Coelho acusa o Governo de perder uma legislatura. O presidente do PSD diz que "no fim, logo se vê" se foram ou não quatro anos de oportunidade perdida para o país. No último Conselho Nacional antes das eleições diretas do partido, Passos acusou o Executivo de perder o rumo e apontou os casos do Infarmed e do aumento do preço da água como exemplos de desorientação.

  • Marcelo apoia novo Mecanismo Europeu de Proteção Civil
    0:44

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa considera o novo Mecanismo de Proteção Civil uma ideia muito boa, que tem todo o apoio do Governo e do Presidente da República. Marcelo apenas lamenta que o modelo não existisse durante os incêndios deste ano.