sicnot

Perfil

Cultura

Jim Carrey diz que está a ser explorado em acusação sobre morte da ex-namorada

O ator Jim Carrey

© Lucas Jackson / Reuters

Jim Carrey diz que está a ser alvo de uma tentativa "sem coração" de o explorar. O ator está a ser processado pelo ex-marido da sua ex-mulher, que morreu de overdose o ano passado, por ter alegadamente comprado os fármacos que levaram à morte de Cathriona White.

Jim Carrey é acusado de ter comprado as drogas prescritas que mataram a ex-namorada, a maquilhadora Cathriona White.

Segundo o TMZ, três tipos diferentes de pílulas foram encontrados num frasco com o nome de Athur King, que seria um pseudónimo de Carrey. De acordo com a acusação, o ator teria dado o frasco com os comprimidos a Cathriona três ou quatro dias antes da sua morte, sabendo que a ex-namorada tinha tendência à depressão e já se tinha tentado matar.

"Não vou tolerar esta tentativa desumana de me explorar ou à mulher que eu amei. Espero que, em breve, as pessoas parem de tentar beneficiar desta situação e a deixem descansar em paz", afirmou o ator em comunicado.

"Seria fácil para mim entrar numa sala com o advogado deste homem e tratar disto, mas há momentos na vida em que devemos ficar de pé e defender a nossa honra contra o mal neste mundo", acrescentou Carrey.

Mark Burton, ex-marido de Cathriona, acusa o ator de ter usado a sua "imensa riqueza e estatuto de celebridade" para obter ilegalmente os fármacos. Burton diz ainda que Carrey tinha uma "obsessão por controlar e manipular" a ex-namorada e que tinha câmaras de vigilância em casa para monitorizá-la.

Cathriona, que tinha 30 anos, foi encontrada morta com uma overdose de medicamentos.

  • Jim Carrey arrasado com suicídio da ex-namorada

    Cultura

    "Ela era uma flor irlandesa verdadeiramente gentil e delicada" é assim que Jim Carrey, em comunicado, começa por descrever a ex-namorada Cathriona White encontrada morta na passada segunda-feira em sua casa, em Los Angeles. De acordo com o site TMZ.com, a maquilhadora terá deixado uma nota de suicídio, que mencionava que a sua relação com Jim Carrey tinha terminado no dia 24 de setembro.

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite