sicnot

Perfil

Cultura

Depeche Mode no festival Nos Alive 2017

© Ints Kalnins / Reuters

Os britânicos Depeche Mode vão atuar em julho de 2017 no festival Nos Alive, em Algés, onde apresentarão um novo álbum, foi hoje anunciado.

Tal como aconteceu em 2012 em Paris, a banda anunciou hoje, numa conferência de imprensa em Milão (Itália), que vai editar um novo álbum na primavera, intitulado "Spirit", e que haverá uma nova digressão europeia, que passará por Portugal.

A 11ª edição do Alive decorrerá em Algés de 06 a 08 de julho de 2017. Os Depeche Mode regressam a este festival onde atuaram em 2013, quando editaram o álbum "Delta Machine".

Os concertos da anterior digressão dos Depeche Mode somaram 2,5 milhões de espectadores.

A nova digressão, baptizada de "Global Spirit Tour", começa em maio e passará ainda pela Alemanha, Reino Unido, Suíça, Itália, França, Espanha, Rússia, Ucrânia, Polónia e Roménia.

Na conferência de imprensa, o vocalista, Dave Gahan, contou que o grupo passou os últimos anos a escrever e a gravar este álbum, que ainda não está terminado.

Os Depeche Mode, uma das referências da 'new wave' pop eletrónica dos anos 1980, são formados por Dave Gahan, Martin Gore e Andy Fletcher.

Lusa

  • "O PSD não é o bombeiro de serviço desta geringonça"
    1:09

    TSU

    O líder da bancada social-democrata avisa os partidos da esquerda para que tenham o caso da TSU como exemplo e não voltem a usar o PSD como muleta em situações em que não estejam de acordo com o Governo, como pode vir a acontecer com as PPP no setor da saúde. Luís Montenegro foi entrevistado esta manhã na SIC Notícias.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.