sicnot

Perfil

Cultura

Musical sobre Fátima estreia quinta-feira no âmbito do centenário das aparições

O musical "Entre o Céu e a Terra", promovido pelo Santuário no âmbito do centenário das aparições, estreia na quinta-feira e evoca a mensagem de Fátima numa linguagem contemporânea, com histórias do quotidiano.

O musical, que sobe ao palco do auditório do Centro Pastoral de Paulo VI entre quinta-feira e domingo, centra-se na mensagem de Fátima, mas não é uma recriação dos três pastorinhos.

É antes uma abordagem ao impacto que Fátima tem "hoje na vida das pessoas", notou o reitor do Santuário de Fátima, Carlos Cabecinhas, justificando a escolha de um musical por ser uma linguagem "particularmente rica e apelativa", que junta música, teatro e dança.

O espetáculo, que procura chegar a "crentes e não crentes", aborda "pessoas como nós", explanou um dos responsáveis da Elenco Produções (entidade que desenvolveu o musical), Bruno Galvão, que falava durante uma conferência de imprensa que teve lugar hoje em Fátima, concelho de Ourém.

No musical, o público vai encontrar diferentes histórias, como da "pessoa que emigra" ou da aceitação do envelhecimento por parte de idosos, passando também por "uma homenagem aos peregrinos", referiu.

O trabalho está a ser desenvolvido há quase três anos e envolve 60 pessoas.

O elenco é composto por 19 atores, entre os quais a premiada Sofia Escobar, juntando num único palco "um 'ensemble' muito forte" de profissionais do teatro musical português, informou o também membro da Elenco Produções João Ribeiro.

O "longo, mas prazeroso" processo de criação contou com ações de formação promovidas pelo Santuário e um acompanhamento por parte de uma equipa de Fátima, que se mostrou "muito disponível" para contar algumas histórias, bem como apontar para referências musicais que acabaram por influenciar o espetáculo, aclarou.

O musical, criado com total liberdade, "fala de qualquer um e de histórias que todos conhecem", realçou João Ribeiro, afirmando que "a fé" é o elo de ligação entre as histórias, apesar de essa mesma fé não ser necessariamente "em Deus".

Depois da apresentação do espetáculo em Fátima, a Elenco Produções tem a ambição de percorrer o país com o musical "Entre o Céu e a Terra".

Questionado pela agência Lusa, o reitor do Santuário recusou-se a referir qual o orçamento do evento.

O espetáculo é gratuito, sendo apenas necessário requerer o bilhete, devido à limitação do auditório.

Bruno Galvão e João Ribeiro são os responsáveis pela produção executiva do espetáculo, que conta com direção musical de Artur Guimarães e encenação e coreografia de Joana Quelhas.

Lusa

  • "A vitória de Bruno de Carvalho pode ser uma vitória de Pirro"
    1:01
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    As eleições para a presidência do Sporting realizam-se no próximo sábado e os comentadores d'O Dia Seguinte avaliaram já as hipóteses de vitória dos candidatos. Rui Gomes da Silva considera que a gravação que implicava José Maria Ricciardi não vai influenciar a decisão de voto. Já Paulo Farinha Alves acredita que Bruno de Carvalho vai vencer a eleição. Contudo José Guilherme Aguiar avisa as eleições podem não trazer estabilidade ao Sporting.

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • SIC revela relatório que provava falência do GES
    2:06
  • Sócrates acusa Cavaco de conspiração
    0:57
  • Bastidores do sambódromo: um espétaculo à parte
    3:22
  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22
  • Como a maioria de Esquerda gere as votações
    2:15

    País

    A gestão entre os partidos é feita diariamente mas nem sempre PCP e Bloco de Esquerda têm votado ao lado do Governo. A SIC ouviu um politólogo, que diz que o objetivo é cada um salientar as diferenças que os separam do PS. No entanto, também há exemplos que provam que nenhum dos partidos quer pôr em causa a estabilidade política.