sicnot

Perfil

Cultura

Bob Dylan, o primeiro músico a vencer o Nobel da Literatura

O compositor e cantor norte-americano Bob Dylan, a quem a Academia Sueca atribuiu hoje o Nobel da Literatura, é considerado um ícone, com grande influência na música contemporânea.

Dylan, de 75 anos, foi distinguido por "ter criado novas expressões poéticas no âmbito da música norte-americana", de acordo com a secretária-geral da Academia Sueca, Sara Danius.

Muitas das obras de Dylan centram-se nas condições sociais, humanas, religião, política e amor e as suas letras têm sido continuamente publicadas em novas edições, sob o título "Lyrics".

O Nobel é a última das distinções atribuídas ao cantor que percorreu um longo caminho desde um início humilde como Robert Allen Zimmerman, nascido a 24 de maio de 1941, em Duluth, no Minnesota, que aprendeu sozinho a tocar harmónica, guitarra e piano.

Bob Dylan cresceu numa família judaica de classe média na cidade de Hibbing. Na adolescência tocou em várias bandas e com o tempo o seu interesse na música aumentou, especialmente pelo folk e blues norte-americano.

Um dos ídolos de Dylan era o cantor de música folk Woody Guthrie, e também foi muito influenciado pelos autores da chamada Geração Beat, bem como pelos poetas modernistas.

Em 1961, Dylan mudou-se para Nova Iorque e começou a cantar em clubes e cafés em Greenwich Village. Depois de um encontro com o produtor John Hammond, assinou um contrato para o álbum de estreia, chamado "Bob Dylan" (1962).

Nos anos seguintes, gravou vários álbuns que tiveram grande impacto na música popular: "Bringing It All Back Home" anda "Highway 61 Revisited", em 1965, "Blonde On Blonde", em 1966 e "Blood On The Tracks", em 1975.

Dylan continuou a produzir nas décadas seguintes alguns dos que são considerados os seus melhores trabalhos: "Oh Mercy" (1989), "Time Out of Mind" (1997) e "Modern Times" (2006).

As digressões do músico em 1965 e 1966 atraíram enorme atenção e durante um largo período foi acompanhado pelo realizador D.A. Pennebaker, que documentou a ação em torno do palco naquele que viria a ser o filme "Don't Look Back" (1967).

Além da produção de álbuns, Dylan publicou alguns trabalhos experimentais como "Tarantula" (1971) e a coleção "Writings and Drawings" (1973).

Em 2004, escreveu a autobiografia "Chronicles", sobre os anos em Nova Iorque e sua vida no centro da cultura popular.

Desde o final da década de 1980, Bob Dylan tem efetuado várias digressões, no âmbito do "Never-Ending Tour". Além da música, Bob Dylan pinta e escreve argumentos.

Lusa

  • "A vitória de Bruno de Carvalho pode ser uma vitória de Pirro"
    1:01
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    As eleições para a presidência do Sporting realizam-se no próximo sábado e os comentadores d'O Dia Seguinte avaliaram já as hipóteses de vitória dos candidatos. Rui Gomes da Silva considera que a gravação que implicava José Maria Ricciardi não vai influenciar a decisão de voto. Já Paulo Farinha Alves acredita que Bruno de Carvalho vai vencer a eleição. Contudo José Guilherme Aguiar avisa as eleições podem não trazer estabilidade ao Sporting.

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • SIC revela relatório que provava falência do GES
    2:06
  • Sócrates acusa Cavaco de conspiração
    0:57
  • Bastidores do sambódromo: um espétaculo à parte
    3:22
  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22
  • Como a maioria de Esquerda gere as votações
    2:15

    País

    A gestão entre os partidos é feita diariamente mas nem sempre PCP e Bloco de Esquerda têm votado ao lado do Governo. A SIC ouviu um politólogo, que diz que o objetivo é cada um salientar as diferenças que os separam do PS. No entanto, também há exemplos que provam que nenhum dos partidos quer pôr em causa a estabilidade política.