sicnot

Perfil

Cultura

Centenas de pessoas no Portugal Fashion para ver moda de jovens designers

O terraço do Palácio dos CTT na Avenida dos Aliados, Baixa do Porto, inundou-se esta quinta-feira com centenas de curiosos da moda para ver 12 desfiles de jovens designers portugueses no âmbito do 39.º Portugal Fashion.

FERNANDO VELUDO

Foram centenas de curiosos que acorreram ao evento gratuito e que hoje foi inteiramente dedicado a apresentar moda criada por jovens designers, entre os quais se destaca Pedro Neto, um veterano do Bloom, por ter participado nas seis edições.

"É uma plataforma boa para jovens designers a nível da press (imprensa) e para apresentar o nosso trabalho a nível nacional e internacional", disse à agência Lusa Pedro Neto, 27 anos, que hoje apresentou a coleção denominada Drop, inspirada numa obra de arte Island of Death, de Arnold Broklin.

A coleção "é uma reflexão muito dramática", em tons negros, "algo que já é do ADN da própria marca Pedro Neto", explicou o jovem criador, referindo que utilizou materiais "fluidos", "delicados" e com "uma grande sensibilidade ao toque".

Questionado pela Lusa sobre os apoios que os jovens recebem, Pedro Neto respondeu que a nível financeiro, em Portugal, "não há verdadeiramente apoios".

"A maior parte das pessoas dizem que sim, que vamos tendo, mas não temos", lamentou, referindo que é "um "bocado triste" que "a maior parte das empresas" rejeite os jovens designers que estão a começar.

Com uma opinião mais otimista estava Miguel Flor, diretor criativo do Espaço Bloom, que classificou de "ultra positivo" o balanço dos seis anos daquela plataforma do Portugal Fashion, que culminou hoje com "um dia exclusivo para os jovens designers" e que, só por isso, o Bloom é um "sucesso".

"Tivemos imensa gente até agora e ficamos surpresos nós mesmo, com a capacidade de chamada dos designers e com o interesse nos novos designers e isso é fantástico reconhecer", observou Miguel Flor, referindo que "há apoios comunitários" para o Portugal Fashion, que por sua vez apoia os jovens designers, designadamente com "showrooms" e "desfiles internacionais" e toda uma "mecânica que foi já construída" e que está a "rolar" no "acompanhamento" e na "direção" dos jovens designers".

A designer Beatriz Bettencourt, 22 anos, foi a primeira apresentar-se hoje no Espaço Bloom. Uma coleção primavera/verão 2017 "citadina", com "linhas desportivas, reinterpretando a silhueta dos anos 70" e uma aposta nos beges, brancos, azul-marinho e laranjas.

Calções com cintura subida, vestidos cai-cai, larguras oversize (tamanho grande), ausência de cavas e detalhes de bolsos, cortes e recortes evidenciam o propósito "mais experimental da coleção" de Beatriz Bettencourt.

O desfile da marca Olimpia Davide, uma das vencedoras do concurso Bloom 2015, também subiu à passarela do Bloom, mostrando uma coleção descontraída com uma silhueta estruturada devido às suas formas assimétricas, inspirada numa viagem que fez à Turquia.

A dupla de estilistas Inês Torcato e Davide Catalán, outros dois bloomers e vencedores do concurso Bloom 2015, também subiram hoje ao 7.º piso do Palácio dos CTT, para apresentar as coleções intituladas "Sketch (self-portrait) e "Forget about it' (Esquece isso), respetivamente.

Segundo Inês Torcato, as criações para a estação quente são inspiradas numa "autoanálise do conhecimento individual", onde procurou "um entendimento mais profundo da identidade coletiva através da partilha da individualidade". Algumas das peças que se destacaram foram os blazers, camisas e sobretudos com inspiração clássica.

David Catalán, 27 anos, natural do País Basco (Espanha), antigo estagiário de Maria Gambina e vencedor da "melhor coleção e melhor fato de mulher na New Roots AW 13 (outono/inverno 2013), apresentou uma coleção de roupa para homem, inspirada no conhecido bar londrino Sketch, que define como "mordaz", "colorida" e "divertidíssima", e que privilegia o conforto ao longo do dia.

Revelou também as suas criações de óculos de sol e calçado.

No segundo dia do Portugal Fashion - o primeiro decorreu no Parque das Nações em Lisboa - foram ainda apresentadas as criações de Eduardo Amorim, Maria Kobrock, Sara Maia, Pedro Neto e UNT.

A coletiva KLAR foi a última coleção do calendário de hoje, mostrando uma coleção com uma "estética crua e sofisticada", enquadrada no novo futuro "nómada", misturando passado e futuro, mas também "traços limpos, tradições cerimoniais e tribos ancestrais".

O Portugal Fashion termina este sábado com desfiles de Luís Buchinho e Katty Xiomara no Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões, além de Fátima Lopes, Elsa Barreto ou Ana Sousa na Alfândega do Porto.

Lusa

  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário ou ainda esta sexta-feira, em formato online.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.