sicnot

Perfil

Cultura

Centenas de pessoas no Portugal Fashion para ver moda de jovens designers

O terraço do Palácio dos CTT na Avenida dos Aliados, Baixa do Porto, inundou-se esta quinta-feira com centenas de curiosos da moda para ver 12 desfiles de jovens designers portugueses no âmbito do 39.º Portugal Fashion.

FERNANDO VELUDO

Foram centenas de curiosos que acorreram ao evento gratuito e que hoje foi inteiramente dedicado a apresentar moda criada por jovens designers, entre os quais se destaca Pedro Neto, um veterano do Bloom, por ter participado nas seis edições.

"É uma plataforma boa para jovens designers a nível da press (imprensa) e para apresentar o nosso trabalho a nível nacional e internacional", disse à agência Lusa Pedro Neto, 27 anos, que hoje apresentou a coleção denominada Drop, inspirada numa obra de arte Island of Death, de Arnold Broklin.

A coleção "é uma reflexão muito dramática", em tons negros, "algo que já é do ADN da própria marca Pedro Neto", explicou o jovem criador, referindo que utilizou materiais "fluidos", "delicados" e com "uma grande sensibilidade ao toque".

Questionado pela Lusa sobre os apoios que os jovens recebem, Pedro Neto respondeu que a nível financeiro, em Portugal, "não há verdadeiramente apoios".

"A maior parte das pessoas dizem que sim, que vamos tendo, mas não temos", lamentou, referindo que é "um "bocado triste" que "a maior parte das empresas" rejeite os jovens designers que estão a começar.

Com uma opinião mais otimista estava Miguel Flor, diretor criativo do Espaço Bloom, que classificou de "ultra positivo" o balanço dos seis anos daquela plataforma do Portugal Fashion, que culminou hoje com "um dia exclusivo para os jovens designers" e que, só por isso, o Bloom é um "sucesso".

"Tivemos imensa gente até agora e ficamos surpresos nós mesmo, com a capacidade de chamada dos designers e com o interesse nos novos designers e isso é fantástico reconhecer", observou Miguel Flor, referindo que "há apoios comunitários" para o Portugal Fashion, que por sua vez apoia os jovens designers, designadamente com "showrooms" e "desfiles internacionais" e toda uma "mecânica que foi já construída" e que está a "rolar" no "acompanhamento" e na "direção" dos jovens designers".

A designer Beatriz Bettencourt, 22 anos, foi a primeira apresentar-se hoje no Espaço Bloom. Uma coleção primavera/verão 2017 "citadina", com "linhas desportivas, reinterpretando a silhueta dos anos 70" e uma aposta nos beges, brancos, azul-marinho e laranjas.

Calções com cintura subida, vestidos cai-cai, larguras oversize (tamanho grande), ausência de cavas e detalhes de bolsos, cortes e recortes evidenciam o propósito "mais experimental da coleção" de Beatriz Bettencourt.

O desfile da marca Olimpia Davide, uma das vencedoras do concurso Bloom 2015, também subiu à passarela do Bloom, mostrando uma coleção descontraída com uma silhueta estruturada devido às suas formas assimétricas, inspirada numa viagem que fez à Turquia.

A dupla de estilistas Inês Torcato e Davide Catalán, outros dois bloomers e vencedores do concurso Bloom 2015, também subiram hoje ao 7.º piso do Palácio dos CTT, para apresentar as coleções intituladas "Sketch (self-portrait) e "Forget about it' (Esquece isso), respetivamente.

Segundo Inês Torcato, as criações para a estação quente são inspiradas numa "autoanálise do conhecimento individual", onde procurou "um entendimento mais profundo da identidade coletiva através da partilha da individualidade". Algumas das peças que se destacaram foram os blazers, camisas e sobretudos com inspiração clássica.

David Catalán, 27 anos, natural do País Basco (Espanha), antigo estagiário de Maria Gambina e vencedor da "melhor coleção e melhor fato de mulher na New Roots AW 13 (outono/inverno 2013), apresentou uma coleção de roupa para homem, inspirada no conhecido bar londrino Sketch, que define como "mordaz", "colorida" e "divertidíssima", e que privilegia o conforto ao longo do dia.

Revelou também as suas criações de óculos de sol e calçado.

No segundo dia do Portugal Fashion - o primeiro decorreu no Parque das Nações em Lisboa - foram ainda apresentadas as criações de Eduardo Amorim, Maria Kobrock, Sara Maia, Pedro Neto e UNT.

A coletiva KLAR foi a última coleção do calendário de hoje, mostrando uma coleção com uma "estética crua e sofisticada", enquadrada no novo futuro "nómada", misturando passado e futuro, mas também "traços limpos, tradições cerimoniais e tribos ancestrais".

O Portugal Fashion termina este sábado com desfiles de Luís Buchinho e Katty Xiomara no Terminal de Cruzeiros do Porto de Leixões, além de Fátima Lopes, Elsa Barreto ou Ana Sousa na Alfândega do Porto.

Lusa

  • 60 milhões de crianças com menos de 5 anos vão morrer entre 2017 e 2030

    Mundo

    Cerca de 15 mil crianças com menos de cinco anos morreram em 2016 em todo o mundo, e 46% destas morreram nos primeiros 28 dias de vida, segundo um relatório divulgado na quarta-feira pela Unicef. Apesar de se ter registado uma descida da mortalidade nos primeiros cinco anos de vida, de 9,9 milhões de mortes em 2000 para 5,6 milhões em 2016, a proporção de recém-nascidos entre os falecidos aumentou de 41% para 46% neste período.

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15

    Opinião

    José Gomes Ferreira diz que as pessoas que ateiam fogo nas florestas sabem "estudar os dias e o vento para arder o máximo possível". Em entrevista no Jornal da Noite, o diretor-adjunto de Informação da SIC, fala na importância de haver uma auditoria para tentar perceber o porquê de haver tantas ignições e saber se há alguém que ganhe com esta vaga de incêndios. 

    José Gomes Ferreira

  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.