sicnot

Perfil

Cultura

Eunice Muñoz não atuará na peça "As árvores morrem de pé" por razões de saúde

A atriz Eunice Muñoz não vai poder atuar na peça "As árvores morrem de pé", em cena no Teatro Politeama, em Lisboa, por motivos de saúde, informou esta segunda-feira à Lusa o filho e produtor António Muñoz.

A atriz, de 88 anos, foi recentemente operada ao coração e "encontra-se em período de convalescença", refere o filho, numa mensagem de correio eletrónico enviada à agência Lusa, acrescentando que a intervenção cirúrgica foi "plena de sucesso".

"Esperamos uma boa e consistente recuperação, para que a minha mãe possa voltar a pisar o palco, logo que seja possível", afirma António Muñoz.

Eunice Muñoz era uma das protagonistas de "As árvores morrem de pé" e iria alternar a representação do papel com a atriz Manuela Maria.

A peça, do dramaturgo espanhol Alejandro Casona, com encenação de Filipe La Féria, teve a sua estreia no Politeama a 11 de agosto.

Eunice Muñoz preparava o seu regresso aos palcos, após uma ausência de quatro anos, devido a problemas de saúde, com "As árvores morrem de pé".

Poucos dias antes da estreia da peça, a atriz disse que tinha chegado a altura de a fazer, apesar de a sua saúde "não ter estado muito brilhante".

Na altura, admitiu que não sabia ainda quando subiria ao palco do Teatro Politeama, mas afirmou que esperava fazê-lo "dentro de pouco tempo".

Eunice Muñoz estreou-se como atriz no Teatro Nacional D. Maria II, com a peça "Vendaval", da autoria de Virgínia Vitorino e com encenação de Amélia Rey Colaço, a 28 de novembro de 1941. Em novembro completa 75 anos de carreira.

Lusa

  • "As Árvores Morrem de Pé" está em cena no teatro Politeama
    3:06

    Cartaz

    "As Árvores Morrem de Pé" é o título da peça e do texto que se tornou célebre no teatro português pela voz da atriz Palmira Bastos. Mais de 50 anos depois, a peça regressa aos palcos pela mão de Filipe La Féria. Do elenco fazem parte nomes como: Ruy de Carvalho, Eunice Munõz, Manuela Maria e Maria João Abreu. A peça está em cena no teatro Politeama, em Lisboa.

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.