sicnot

Perfil

Cultura

Eunice Muñoz não atuará na peça "As árvores morrem de pé" por razões de saúde

A atriz Eunice Muñoz não vai poder atuar na peça "As árvores morrem de pé", em cena no Teatro Politeama, em Lisboa, por motivos de saúde, informou esta segunda-feira à Lusa o filho e produtor António Muñoz.

A atriz, de 88 anos, foi recentemente operada ao coração e "encontra-se em período de convalescença", refere o filho, numa mensagem de correio eletrónico enviada à agência Lusa, acrescentando que a intervenção cirúrgica foi "plena de sucesso".

"Esperamos uma boa e consistente recuperação, para que a minha mãe possa voltar a pisar o palco, logo que seja possível", afirma António Muñoz.

Eunice Muñoz era uma das protagonistas de "As árvores morrem de pé" e iria alternar a representação do papel com a atriz Manuela Maria.

A peça, do dramaturgo espanhol Alejandro Casona, com encenação de Filipe La Féria, teve a sua estreia no Politeama a 11 de agosto.

Eunice Muñoz preparava o seu regresso aos palcos, após uma ausência de quatro anos, devido a problemas de saúde, com "As árvores morrem de pé".

Poucos dias antes da estreia da peça, a atriz disse que tinha chegado a altura de a fazer, apesar de a sua saúde "não ter estado muito brilhante".

Na altura, admitiu que não sabia ainda quando subiria ao palco do Teatro Politeama, mas afirmou que esperava fazê-lo "dentro de pouco tempo".

Eunice Muñoz estreou-se como atriz no Teatro Nacional D. Maria II, com a peça "Vendaval", da autoria de Virgínia Vitorino e com encenação de Amélia Rey Colaço, a 28 de novembro de 1941. Em novembro completa 75 anos de carreira.

Lusa

  • "As Árvores Morrem de Pé" está em cena no teatro Politeama
    3:06

    Cartaz

    "As Árvores Morrem de Pé" é o título da peça e do texto que se tornou célebre no teatro português pela voz da atriz Palmira Bastos. Mais de 50 anos depois, a peça regressa aos palcos pela mão de Filipe La Féria. Do elenco fazem parte nomes como: Ruy de Carvalho, Eunice Munõz, Manuela Maria e Maria João Abreu. A peça está em cena no teatro Politeama, em Lisboa.

  • Captura ilegal de cavalos-marinhos na Ria Formosa
    3:02

    País

    Há cada vez menos cavalos marinhos na Ria Formosa. Cientistas da Universidade do Algarve dizem que a maior população desta espécie no mundo, que é a que existe na Ria Formosa, está ameaçada devido à captura ilegal para o mercado asiático. Dizem que, se nada for feito para travar este fenómeno, esta espécie protegida pode desaparecer em poucos anos.