sicnot

Perfil

Cultura

Teatro São Luiz convida público a ser solidário com "bilhete suspenso"

O Teatro Municipal São Luiz (TMSL), em Lisboa, lança oficialmente o projeto "bilhete suspenso", convidando os portugueses a comparticiparem entradas em espectáculos para pessoas com menos recursos, depois de um período de ensaios deste modelo.

"A ideia é simples, mas as pessoas ainda não estão alertadas para ela. Já vendemos cerca de cem bilhetes suspensos, mas, até ao final da temporada, ficaria contente se chegássemos aos 500 bilhetes", disse a diretora do TMSL, Aida Tavares, à agência Lusa.

Qualquer cidadão pode comprar um bilhete no São Luiz, por sete euros (o teatro suporta o restante valor, outros sete euros), que fica suspenso na bilheteira para usufruto de pessoas que são apoiadas por entidades associadas ao teatro municipal.

Aida Tavares contou que teve conhecimento de uma iniciativa semelhante na Turquia, no Festival de Teatro de Istambul, e quis adaptá-la para a realidade portuguesa.

"Fiquei bastante comovida com a ideia e queria muito pô-la em prática no São Luiz. No fundo é um ato isolado de alguém que pratica solidariedade e ninguém fica a saber quem deu o bilhete a quem", contou.

Os beneficiários destes bilhetes suspensos são pessoas apoiadas ou ligadas a associações com atividade em Lisboa, como a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), a Associação Coração Amarelo, cuja intervenção se centra no combate à solidão dos mais idosos, ou a Albergues Nocturnos de Lisboa, de apoio a pessoas sem abrigo.

Aida Tavares referiu que no período experimental do bilhete suspenso percebeu que havia procura por parte das associações para diferentes espectáculos da programação do São Luiz.

"É uma parceria de solidariedade entre o público e o teatro, a pensar em pessoas que são apoiadas por associações em quem confiamos", disse.

Lusa

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Hotel inovador na Madeira
    2:23

    Economia

    O grupo Pestana está a construir no Funchal, um novo e único hotel, através de uma técnica inovadora que quase não utiliza cimento. Este vai ser o primeiro hotel do mundo construído com um sistema modular desenvolvido em Portugal. O hotel vai ter 77 quartos e vai ficar construído em apenas seis meses. O maior grupo hoteleiro português admite recorrer a este novo sistema em futuros hotéis.

  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.