sicnot

Perfil

Cultura

Coliseu de Lisboa transforma-se em arena de combate musical

O Coliseu de Lisboa será o palco, na quinta-feira, de um combate musical, inédito, entre quatro equipas de músicos portugueses e, no final, o vencedor será escolhido pelo público.

No Coliseu estarão montados quatro palcos para o Red Bull Music Academy Culture Clash, que consiste na atuação de quatro equipas de artistas, que atuarão uns contra os outros. As equipas mais aplaudidas superam várias etapas até uma delas ser declarada vencedora.

Uma das equipas é "Club Atlas", liderada pelo músico e produtor Branko e que conta com Carlão, Riot e Kalaf, dos Buraka Som Sistema, e de Fred Ferreira e Pongolove. Outra é "Moullinex Live Machine", liderada pelo músico e produtor Luís Clara Gomes (Moullinex) e inclui Xinobi, Da Chick e The Legendary Tigerman.

Haverá ainda a equipa "Matilha", liderada por DJ Ride, com Jimmy P e os MGDRV, e o coletivo "Batida + Kambas e o Próprio Kota!", que fará a ponte entre Portugal e Angola com Batida, Bonga, DJ Satélite, Karlon e os bailarinos André Cabral, Gonçalo Cabral e Bernardino Tavares.

O Red Bull Music Academy Culture Clash já aconteceu noutras cidades, como Londres, Nova Iorque, Toronto e Milão, e é a primeira vez que chega a Lisboa.

A Red Bull Academy é uma estrutura internacional fundada em 1998, uma comunidade formada por produtores, músicos, DJ, pessoas ligadas à música eletrónica e contemporânea de todo o mundo, que se juntam anualmente numa cidade, para organizar 'workshops', laboratórios de música, encontros e atuações.

Lusa

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.