sicnot

Perfil

Cultura

"Por favor, que este ano desgraçado chegue ao fim"

© Denis Balibouse / Reuters

O escritor George R.R. Martin, criador e produtor da série "Guerra dos Tronos", mostrou-se consternado com a morte de mais duas grandes figuras da arte e da cultura, Carrie Fisher e Richard Adams. "Mortes e mais mortes… Este ano está a tornar-se cada vez pior", escreveu Martin esta terça-feira no LiveJournal, mostrando-se desejoso de que 2016 termine depressa - "Por favor, que este ano desgraçado chegue ao fim".

Referência em Hollywood, Martin entrou como guionista para a série Twilight Zone na CBS Television em 1986, ano em que foi também consultor executivo de A Bela e o Monstro, tornando-se mais tarde produtor da série. Em 1991, voltou a escrever livros, começando a que eventualmente se tornaria a série de fantasia épica, "As Crónicas de Gelo e Fogo", que terá sete volumes, sendo o primeiro "Guerra dos Tronos", publicado em 1996.

Figura de culto e escritor consagrado, Martim mostrou-se desolado com o número de perdas da mundo da música, das artes e da cultura, ao longo deste ano. Sobre os dois recentes desaparecimentos, refere que em relação a Carrie Fisher pouco pode dizer que milhares de pessoas ainda não tenham dito.

"Ela era brilhante, linda, e uma atriz talentosa. Uma mulher forte, espirituosa, franca. A princesa Leia vivera enquanto "Star Wars" durar, provavelmente para sempre".

Quanto a Richard Adams, Martim considera-o "um escritor maravilho" e revela que tinha proposto o seu nome para o prémio "World Fantasy Life Achievement", também na esperança de o poder conhecer. "Agora isso nunca irá acontecer", lamenta.

O autor de “Watership Down”, um dos mais famosos livros da década de 70, morreu aos 96 anos. Traduzido para Português como “A Longa Jornada”, tornou-se uma novela de culto.

Richard Adams publicou a obra apenas aos 52 anos, depois de várias recusas das principais editoras e de outras mais pequenas. Uma editora independente permitiu que a primeira obra de Adams se tornasse num best-seller logo no primeiro ano de edição.

  • "O que é isto, mamã?"
    36:23
  • O ensino à distância em Portugal
    4:12

    País

    Em Portugal, o ensino básico e secundário à distância já conta com 300 alunos e com a preciosa ajuda das novas tecnologias. É através do computador que a escola viaja e acompanha os alunos, alguns com doenças que não os permitem ir às aulas, outros que são atletas de alta competição e que têm a maior parte do tempo ocupado por treinos ou ainda os que fazem parte de famílias itenerantes, como é o caso dos que vivem no circo e andam de terra em terra.

  • Aprender a jogar badminton ao ritmo do samba
    2:54

    Mundo

    No Brasil, a correspondente da SIC foi conhecer um projeto social no Rio de Janeiro que mistura samba e desporto. Um desporto que ainda é pouco praticado mas que tem sido fundamental para transformar a vida de jovens das favelas e para descobrir novos talentos do badminton brasileiro.

    Correspondente SIC