sicnot

Perfil

Cultura

"Quero estar com a minha filha", foram as últimas palavras de Debbie Reynolds 

© Mario Anzuoni / Reuters

Debbie Reynolds, mãe da atriz Carrie Fisher, morreu esta quarta-feira, apenas um dia depois da filha, Princesa Leia na saga "Star Wars". A morte de Debbie Reynolds está, contudo, a levantar suspeitas. De acordo com o jornal The Telegraph, as últimas palavras da também atriz, proferidas pouco antes de se sentir mal e de ser levada para o hospital foram: "Quero estar com a minha filha".

Debbie Reynolds, protagonista do clássico "Serenata à Chuva", morreu aos 84 anos, alegadamente devido a um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

"Ela está agora com Carrie e nós estamos todos de coração partido", afirmou o filho Todd Fisher, a partir do hospital de Cedars-Sinai, em Los Angeles, para onde Debbie Reynolds foi levada de urgência na quarta-feira.

Todd Fisher disse também que o sofrimento pela morte da irmã "foi demasiado" para a mãe. "Ela disse, eu quero estar com a Carrie... E depois partir", contou o filho.

De acordo com as primeiras informações sobre a sua morte, Reynolds ter-se-ia sentido mal em casa do seu filho Todd, quando estavam a tratar do funeral de Carrie.

Joely Fisher, meia-irmã de Carrie e também atriz, escreveu no Twitter pouvo antes da morte ser oficialmente anunciada: "Deus levou a mamã".

Debbie Reynolds tornou-se conhecida pelo papel que desempenhou no filme "Serenata à Chuva" ("Singing in the Rain", de 1952), tendo mais tarde sido nomeada para um Óscar pelo seu desempenho em "Os Milhões de Molly Brown" ("The Unsinkable Molly Brown", de 1964).

A atriz destacou-se nos anos 1950 e 1960 sobretudo em musicais. Além do clássico "Singing in the Rain", que protagonizou ao lado de Gene Kelly e Donald O'Connor, o seu nome figura nos créditos de "I Love Melvin" (1953), "The Tender Trap" (1955) ou "How The West Was Won" (1962).

Posteriormente, a sua carreira passou pela Broadway, tendo trabalhado em peças como "Irene", sem deixar, contudo, de marcar presença em Hollywood, onde deixou a sua marca em "Mother"(1996), "In & Out" ou "Behind the Candelabra" (2013), o seu último trabalho.

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57
  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31
  • 245 saltam de ponte de 30m no Brasil para Recorde do Guiness
    1:56
  • Antigos presidentes dos EUA angariam 26 milhões para vítimas dos furacões
    0:58

    Mundo

    Os cinco antigos presidentes dos Estados Unidos da América ainda vivos juntaram-se para ajudar as vítimas dos furacões. Bill Clinton e Barack Obama lembraram as vítimas dos furacões e elogiaram o espírito solidário dos norte-americanos. Os antigos presidentes norte-americanos lançaram o apelo no início do mês passado e já conseguiram angariar cerca de 26 milhões de euros.