sicnot

Perfil

Cultura

"Quero estar com a minha filha", foram as últimas palavras de Debbie Reynolds 

© Mario Anzuoni / Reuters

Debbie Reynolds, mãe da atriz Carrie Fisher, morreu esta quarta-feira, apenas um dia depois da filha, Princesa Leia na saga "Star Wars". A morte de Debbie Reynolds está, contudo, a levantar suspeitas. De acordo com o jornal The Telegraph, as últimas palavras da também atriz, proferidas pouco antes de se sentir mal e de ser levada para o hospital foram: "Quero estar com a minha filha".

Debbie Reynolds, protagonista do clássico "Serenata à Chuva", morreu aos 84 anos, alegadamente devido a um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

"Ela está agora com Carrie e nós estamos todos de coração partido", afirmou o filho Todd Fisher, a partir do hospital de Cedars-Sinai, em Los Angeles, para onde Debbie Reynolds foi levada de urgência na quarta-feira.

Todd Fisher disse também que o sofrimento pela morte da irmã "foi demasiado" para a mãe. "Ela disse, eu quero estar com a Carrie... E depois partir", contou o filho.

De acordo com as primeiras informações sobre a sua morte, Reynolds ter-se-ia sentido mal em casa do seu filho Todd, quando estavam a tratar do funeral de Carrie.

Joely Fisher, meia-irmã de Carrie e também atriz, escreveu no Twitter pouvo antes da morte ser oficialmente anunciada: "Deus levou a mamã".

Debbie Reynolds tornou-se conhecida pelo papel que desempenhou no filme "Serenata à Chuva" ("Singing in the Rain", de 1952), tendo mais tarde sido nomeada para um Óscar pelo seu desempenho em "Os Milhões de Molly Brown" ("The Unsinkable Molly Brown", de 1964).

A atriz destacou-se nos anos 1950 e 1960 sobretudo em musicais. Além do clássico "Singing in the Rain", que protagonizou ao lado de Gene Kelly e Donald O'Connor, o seu nome figura nos créditos de "I Love Melvin" (1953), "The Tender Trap" (1955) ou "How The West Was Won" (1962).

Posteriormente, a sua carreira passou pela Broadway, tendo trabalhado em peças como "Irene", sem deixar, contudo, de marcar presença em Hollywood, onde deixou a sua marca em "Mother"(1996), "In & Out" ou "Behind the Candelabra" (2013), o seu último trabalho.

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.