sicnot

Perfil

Cultura

Disney pode receber 48 milhões de euros pela morte de Carrie Fisher

FACUNDO ARRIZABALAGA

A Disney pode vir a receber 48 milhões de euros pela morte inesperada da atriz Carrie Fisher. Isto porque os estúdios tinham feito um seguro para se precaver contra a eventualidade da atriz ser incapaz de chegar ao fim da mais recente trilogia de Star Wars.

Carrie Fisher já tinha terminado as filmagens das cenas do segundo filme, o Episódio VIII, que tem data de estreia para dezembro de 2017. Contudo, ficou a faltar a participação no terceiro.

A atriz de 60 anos morreu no hospital no dia 27 de dezembro, quatro dias depois de sofrer um ataque cardíaco num voo de Londres para Los Angeles.

A Disney comprou a produtora Lucasfilm em 2012, altura em que a empresa fez o seguro. Não é comum fazerem-se seguros que cubram mortes inesperadas ou a incapacidade dos atores na indústria cinematográfica.

Até ao momento, a Disney ainda não explicou o que vai fazer em relação à morte de Carrie, uma vez que a atriz teria um papel importante no Episódio IX. A empresa pode optar por usar a técnica CGI, como já fizerem com o spin-off do Star Wars, Rogue One, que estreou em dezembro.

Star Wars não é a primeira franchise de Hollywood a ser ameaça pela morte inesperada de um ator.

The Hunger Games perdeu um dos seus atores em 2014, Philip Seymour Hoffman. Contudo, a Lionsgate conseguiu lançar o último filme da saga em 2015, graças ao facto do ator ter gravado a maior parte das suas cenas e à tecnologia CGI.

  • Os apelos de Marcelo para a reforma do Estado
    1:36

    País

    O Presidente da República lamentou este sábado que o consenso para uma reforma do Estado seja um sonho adiado. No enceramento do congresso "Portugal no Futuro", Marcelo Rebelo de Sousa apelou a entendimentos em áreas estratégicas e defendeu que é preciso passar as palavras à ação, o quanto antes.

    Débora Henriques

  • Tragédia de Vila Nova da Rainha foi há uma semana
    7:18
  • Escutas da Operação Marquês "não podem servir de prova"
    1:36

    Operação Marquês

    As defesas de José Sócrates e de Ricardo Salgado queixam-se que as escutas do processo Marquês estão infetadas por um vírus informático. Os advogados dizem que tal como estão as escutas não podem servir de prova. No entanto, o Ministério Público diz que estão reunidas as condições para começar a contar o prazo para a abertura de instrução.

    Luís Garriapa

  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52