sicnot

Perfil

Cultura

Disney pode receber 48 milhões de euros pela morte de Carrie Fisher

FACUNDO ARRIZABALAGA

A Disney pode vir a receber 48 milhões de euros pela morte inesperada da atriz Carrie Fisher. Isto porque os estúdios tinham feito um seguro para se precaver contra a eventualidade da atriz ser incapaz de chegar ao fim da mais recente trilogia de Star Wars.

Carrie Fisher já tinha terminado as filmagens das cenas do segundo filme, o Episódio VIII, que tem data de estreia para dezembro de 2017. Contudo, ficou a faltar a participação no terceiro.

A atriz de 60 anos morreu no hospital no dia 27 de dezembro, quatro dias depois de sofrer um ataque cardíaco num voo de Londres para Los Angeles.

A Disney comprou a produtora Lucasfilm em 2012, altura em que a empresa fez o seguro. Não é comum fazerem-se seguros que cubram mortes inesperadas ou a incapacidade dos atores na indústria cinematográfica.

Até ao momento, a Disney ainda não explicou o que vai fazer em relação à morte de Carrie, uma vez que a atriz teria um papel importante no Episódio IX. A empresa pode optar por usar a técnica CGI, como já fizerem com o spin-off do Star Wars, Rogue One, que estreou em dezembro.

Star Wars não é a primeira franchise de Hollywood a ser ameaça pela morte inesperada de um ator.

The Hunger Games perdeu um dos seus atores em 2014, Philip Seymour Hoffman. Contudo, a Lionsgate conseguiu lançar o último filme da saga em 2015, graças ao facto do ator ter gravado a maior parte das suas cenas e à tecnologia CGI.

  • Corpos de portuguesas trasladados segunda-feira 
    1:27
  • Incendiários vão passar o verão com pulseira eletrónica

    País

    Os tribunais vão poder condenar os incendiários a penas de prisão domiciliária, com pulseira eletrónica, durante as épocas de incêndio. A nova lei foi aprovada na semana passada, na Assembleia da República, e aguarda a promulgação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

  • Estado vai tomar posse de terras abandonadas

    País

    O Governo vai recorrer ao Código Civil para permitir que o Estado tome posse de terras ao abandono. À margem da entrevista ao Expresso, o primeiro-ministro anunciou que o Governo irá acionar o artigo 1345º do Código Civil, que estabelece que as coisas imóveis sem dono conhecido se consideram do património do Estado.

  • "Trump, deixe-me ajudá-lo a escrever o discurso"
    0:47

    Mundo

    Arnold Schwarzenegger diz que Donald Trump tem o dever moral de se opor ao ódio e ao racismo. Num vídeo publicado nas redes sociais, o ator norte-americano e antigo governador da Califórnia encenou o discurso que Donald Trump devia ter. 

  • Hino da SIC tocado pela viola beiroa
    2:22