sicnot

Perfil

Cultura

Organização do "Andanças" reconhece ter ficado "fortemente abalada" com incêndio

ANT\303\223NIO JOS\303\211

A organização do festival "Andanças", realizado anualmente em Castelo de Vide, no Alto Alentejo, reconheceu esta quinta-feira ter ficado "fortemente abalada" na sequência do incêndio no estacionamento do certame, em 2016, que destruiu mais de 400 viaturas.

Em comunicado, a Pédexumbo, Associação para a Promoção da Música e Dança, salienta que o fogo deixou "fortemente abalada a sua estrutura humana e a sua capacidade de resposta".

"Ficámos todos, profundamente, afetados. Estamos todos no mesmo barco", lê-se no comunicado dos promotores do festival, que tem sido realizado, nos últimos anos, numa área de 28 hectares nas margens da albufeira de Póvoa e Meadas, no concelho de Castelo de Vide, distrito de Portalegre, acolhendo milhares de festivaleiros portugueses e estrangeiros.

O fogo ocorreu a meio da tarde de 3 de agosto de 2016, num dos parques de estacionamento, a algumas centenas de metros do recinto do festival, acabando por atingir total ou parcialmente 458 viaturas.

No comunicado, a associação defende que devem ser desenvolvidas ações no sentido de "sensibilizar as entidades competentes" para ser "encontrada uma solução" que "defenda o interesse" das pessoas lesadas.

"Desejaríamos que todos pudéssemos ser ressarcidos das perdas materiais que tivemos. Não sendo economicamente possível todos sermos compensados como gostaríamos, que pelo menos possamos todos, em conjunto - pessoas lesadas, PédeXumbo, parceiros, seguradoras e entidades públicas - procurar criar possibilidades concertadas de resolução alargada e colaborativa", lê-se no documento.

Contactada esta quinta-feira pela agência Lusa, a relações públicas do "Andanças", Catarina Serrazina, adiantou que a organização ainda não obteve informações sobre o resultado do inquérito realizado pelo Ministério Público (MP) às causas do fogo.

"Até hoje, ainda não tivemos qualquer informação sobre as conclusões do inquérito do MP", disse.

Fonte da GNR admitiu à Lusa, na altura dos acontecimentos, que o fogo teria tido origem numa viatura, mas, segundo alguns jornais, as causas podem estar relacionadas com um cigarro mal apagado.

A organização do festival indica, por outro lado, que tem desenvolvido iniciativas para angariar verbas e criou uma conta bancária para apoiar os proprietários dos veículos destruídos.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras