sicnot

Perfil

Cultura

Organização do "Andanças" reconhece ter ficado "fortemente abalada" com incêndio

ANT\303\223NIO JOS\303\211

A organização do festival "Andanças", realizado anualmente em Castelo de Vide, no Alto Alentejo, reconheceu esta quinta-feira ter ficado "fortemente abalada" na sequência do incêndio no estacionamento do certame, em 2016, que destruiu mais de 400 viaturas.

Em comunicado, a Pédexumbo, Associação para a Promoção da Música e Dança, salienta que o fogo deixou "fortemente abalada a sua estrutura humana e a sua capacidade de resposta".

"Ficámos todos, profundamente, afetados. Estamos todos no mesmo barco", lê-se no comunicado dos promotores do festival, que tem sido realizado, nos últimos anos, numa área de 28 hectares nas margens da albufeira de Póvoa e Meadas, no concelho de Castelo de Vide, distrito de Portalegre, acolhendo milhares de festivaleiros portugueses e estrangeiros.

O fogo ocorreu a meio da tarde de 3 de agosto de 2016, num dos parques de estacionamento, a algumas centenas de metros do recinto do festival, acabando por atingir total ou parcialmente 458 viaturas.

No comunicado, a associação defende que devem ser desenvolvidas ações no sentido de "sensibilizar as entidades competentes" para ser "encontrada uma solução" que "defenda o interesse" das pessoas lesadas.

"Desejaríamos que todos pudéssemos ser ressarcidos das perdas materiais que tivemos. Não sendo economicamente possível todos sermos compensados como gostaríamos, que pelo menos possamos todos, em conjunto - pessoas lesadas, PédeXumbo, parceiros, seguradoras e entidades públicas - procurar criar possibilidades concertadas de resolução alargada e colaborativa", lê-se no documento.

Contactada esta quinta-feira pela agência Lusa, a relações públicas do "Andanças", Catarina Serrazina, adiantou que a organização ainda não obteve informações sobre o resultado do inquérito realizado pelo Ministério Público (MP) às causas do fogo.

"Até hoje, ainda não tivemos qualquer informação sobre as conclusões do inquérito do MP", disse.

Fonte da GNR admitiu à Lusa, na altura dos acontecimentos, que o fogo teria tido origem numa viatura, mas, segundo alguns jornais, as causas podem estar relacionadas com um cigarro mal apagado.

A organização do festival indica, por outro lado, que tem desenvolvido iniciativas para angariar verbas e criou uma conta bancária para apoiar os proprietários dos veículos destruídos.

Lusa

  • Vidas de fogo
    12:04

    Reportagem Especial

    Este ano durante o período mais crítico dos fogos, estão no terreno quase dez mil operacionais, a maioria bombeiros voluntários. A Reportagem Especial da SIC deste domingo "Vidas de fogo" dá a conhecer histórias de bombeiros que sobreviveram às chamas enquanto serviam o país.

  • Portugal "precisa avançar no trabalho" para reduzir crédito malparado
    1:36

    Economia

    Bruxelas recomenda e insiste que o Governo português avance no trabalho para resolver o crédito malparado. Em entrevista à SIC e ao Expresso, o vice-Presidente da Comissão para o Euro e Estabilidade Financeira, Valdis Dombrovskis, adianta que Bruxelas está também a preparar um Plano de Ação ao nível europeu.

    Entrevista SIC/Expresso

  • Líder do Daesh abatido durante fuga

    Daesh

    Um líder do Daesh e o assistente foram abatidos pela polícia iraquiana, em Mossul. A notícia é avançada pela agência EFE que esclarece que os dois homens terão sido mortos enquanto fugiam do Oeste para Este da cidade iraquiana através do rio Tigre.