sicnot

Perfil

Cultura

Morreu o ator indiano Om Puri, protagonista de "Tradição é Tradição"

© Mark Blinch / Reuters

O emblemático ator indiano Om Puri, que participou em filmes como "Tradição é Tradição" (1999) ou "A Cidade da Alegria" (1992), morreu esta sexta-feira aos 66 anos na sequência de enfarte na Meca do cinema de Bollywood, Bombaim (Mumbai).

Om Puri, que fez carreira não só no cinema indiano como no cinema britânico e em Hollywood, foi cremado a meio da tarde desta sexta-feira no crematório de Oshiwara, em Bombaim, revelaram nas redes sociais vários dos seus colegas, o cineasta Ashoke Pandit e a atriz Azmi Shabana.

Pandit, amigo próximo de Puri, escreveu nas redes sociais que "toda a indústria do entretenimento está em choque".

O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, transmitiu as suas condolências no Twitter, destacando "a longa carreira" de om Puri no cinema e no teatro.

Em Bollywood, Om Puri participou em filmes como "Bhavni Bhavai" (1980), "Mirch Masala" (1986) e "Dharavi" (1992), enquanto no plano internacional atuou ao lado de artistas de primeiro plano como Patrick Swayze, em "A Cidade da Alegria", de Roland Joffé, bem como Jack Nicholson e Michelle Pfeiffer em "Lobo" (1994).

Em "Caçadores na Noite" (1996), Puri trabalhou ao lado de Michael Douglas.

Na base de dados internacional de cinema e atores IMDb, Om Puri está creditado como ator em mais de 300 produções, quer de cinema, quer de televisão. A primeira foi em 1975, no filme Kalla Kalla Bachitko.

Lusa

  • João Galamba deixa de ser porta-voz do PS

    País

    João Galamba vai deixar de ser porta-voz do PS e de integrar a comissão permanente do partido. A nova porta-voz dos socialistas vai ser Maria Antónia Almeida Santos, que já integrava a comissão independente, órgão de direção política do PS.

  • Mariano Rajoy não vai convocar eleições antecipadas
    1:24

    Mundo

    O governo espanhol está por um fio por causa de um processo de corrupção a envolver dirigentes do PP. O PSOE apresentou uma moção de censura e o Ciudadanos pede eleições antecipadas. O chefe do governo, Mariano Rajoy, já disse que não vai convocar eleições.